D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

para a tag "teorias do jornalismo"

Accountabillity Midiático

Espaços de discussão pública sobre a mídia como uma forma de controle público e democrático. O conceito surgiu para designar um processo que invoca a responsabilidade objetiva e subjetiva de profissionais e veículos de comunicação na constituição de espaços públicos democráticos de discussão.

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Agenda Setting

Segundo a hipótese do agenda setting ou teoria do agendamento, introduzida em 1972 por Maxwell McCombs e Donald Shaw, os temas discutidos no cotidiano são determinados pelas mensagens da mídia. Essa ideia já havia sido antecipada por Walter Lippmann, em 1922, em Public Opinion, no qual destacava o papel da imprensa o enquadramento da atenção dos leitores em direção a temas por ela impostos. Robert Park, em 1940, destacava a prerrogativa que tinham os meios de comunicação de definir uma certa ordem de preferências temáticas. 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Jornalismo Pós-Massivo

Jornalismo que caracteriza-se por um amplo fluxo de notícias que tem a função pós-massiva. As mídias de função pós-massiva têm como eixo central as redes telemáticas e, portanto, a liberação do pólo de emissão para qualquer um que deseje fazer circular uma informação, sem, necessariamente, a presença de um conglomerado ou empresa jornalística por trás. Para Lemos: As funções pós-massivas não competem entre si por verbas publicitárias e não estão centradas sobre um território específico, mas virtualmente sobre o planeta. 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Revolução das Fontes

A tecnologia da difusão tirou do jornalista o poder da notícia e deu às fontes a competência de gerar fatos noticiáveis” Chaparro 

A Revolução das Fontes é uma uma nova perspectiva de análise da atividade jornalística feita pelo jornalista e professor Carlos Chaparro (ECA-USP), na qual as fontes passaram a pautar o jornalista, guindadas pela tecnologia da difusão.

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria Construtivista

Teoria do jornalismo na qual a notícia é vista como uma construção e ideologia jornalística.

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria de Ação Política

Teoria da Ação Política propõe a influência da ideologia política nas informações repassadas pela imprensa. Essa teoria indica que certas notícias podem ser distorcidas favorecendo interesses políticos, na maioria das vezes em busca do lucro. Muitos veículos recebem verbas e ajudas de custo de certos partidos ou políticos, não necessariamente se vendem ao mesmo, porém negociam assim um espaço em seu meio. 

[clique no título acima para ver a postagem completa]

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)