História da Televisão no Brasil

No Brasil, a primeira transmissão televisiva ocorreu em 18 de setembro de 1950, pela TV Tupi (SP) vinculada aos Diários Associados de Assis Chateaubriand. Em 1952, foi criada a TV Paulista e no ano seguinte a TV Record. (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Radiodifusão Comunitária no Brasil

Denomina-se Serviço de Radiodifusão Comunitária a radiodifusão sonora, em freqüência modulada, operada em baixa potência e cobertura restrita, outorgada a fundações e associações comunitárias, sem fins lucrativos, com sede na localidade de prestação do serviço.

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Opinião Pública e Pesquisa de Opinião

“Não se pode atribuir racionalidade ou irracionalidade à opinião pública; há, evidentemente, espaço de manipulação, já que os media podem ser perfeitamente ajustáveis, dirigíveis, determináveis. Diante dos meios de comunicação de massa, medium é a própria opinião pública". Marcondes Filho  (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Comunicação Pública

"A Comunicação Pública trata de compartilhamento, negociações, conflitos e acordos na busca do atendimento de interesses referentes a temas de relevância coletiva. A Comunicação Pública ocupa-se da viabilização do direto social coletivo e individual ao diálogo, à informação e expressão. Assim, fazer comunicação pública é assumir a perspectiva cidadã na comunicação envolvendo temas de interesse coletivo"Duarte

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Lei de Imprensa no Brasil

A primeira legislação brasileira de imprensa, deriva da lei portuguesa de 12 de julho de 1821. Ela previa que um Juízo dos Jurados, composto por 24 cidadãos indicados pelo regente, seria responsável em conter os abusos de liberdade de manifestação. Durante o Império, a imprensa era regulamentada pela Carta de Lei de 2 de outubro de 1823 que foi oficializada no Decreto de 22 de novembro do mesmo ano, outorgado por Dom Pedro I. 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Comunicação Social na Constituição Federal de 1988

O jornalismo, tal como o conhecemos hoje, é uma invenção da democracia moderna." Bucci  A Constituição Federal de 88 (CF/88) trata da Comunicação Social em diversos artigos e incisos. Os principais são: art. 5 e 220 a 224, além do art. 139.  (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Redação Publicitária

A publicidade não se faz somente com fatos e idéiasmas também com palavras e imagens". CONAR  A redação publicitária pode ser definida como a elaboração criativa de anúncios e peças publicitárias. É um texto persuasivo, coloquial, caracterizado pelo uso da ordem direta, das abordagens racional e emocional e de temas diretos ou indiretos.  (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Objetividade e Imparcialidade

Para a epistemologia, objetividade trata da validade de um conhecimento ou representação de um objeto. Já a mediologia diz que a objetividade separa o enunciado da enunciação no processo de comunicação. Assim, o receptor constata apenas a mensagem sem se relacionar diretamente com o emissor. (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Gêneros Jornalísticos

Para Nilson Lage "O jornalismo não é um gênero literário a mais. Enquanto, na literatura, a forma é compreendida como portadora, em si, de informação estética, em jornalismo a ênfase desloca-se para os conteúdos, para o que é informado. O jornalismo se propõe a processar informação em escala industrial e para consumo imediato". 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros

"O jornalismo como o conhecemos, isto é, o jornalismo como instituição da cidadania, e como as democracias procuram preservá-lo, é uma vitória da ética". Bucci O atual Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros (CEJB) foi criado no Congresso Nacional dos Jornalistas em 1987. 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)