Comunicação Social na Constituição Federal de 1988

O jornalismo, tal como o conhecemos hoje, é uma invenção da democracia moderna – Eugênio Bucci

A Constituição Federal de 88 (CF/88) trata da Comunicação Social em diversos artigos e incisos. Os principais são: art. 5 e 220 a 224, além do art. 139. 

Redação Publicitária

A publicidade não se faz somente com fatos e idéiasmas também com palavras e imagens". CONAR 

A redação publicitária pode ser definida como a elaboração criativa de anúncios e peças publicitárias. É um texto persuasivo, coloquial, caracterizado pelo uso da ordem direta, das abordagens racional e emocional e de temas diretos ou indiretos.  

Objetividade e Imparcialidade

A questão da objetividade nasceu com o próprio jornalismo.” Marques de Melo

Para a epistemologia, objetividade trata da validade de um conhecimento ou representação de um objeto. Já a mediologia diz que a objetividade separa o enunciado da enunciação no processo de comunicação. Assim, o receptor constata apenas a mensagem sem se relacionar diretamente com o emissor. Esta dinâmica gera um distanciamento do receptor em relação ao conteúdo de um enunciado.

Gêneros Jornalísticos

O jornalismo não é um gênero literário a mais. Enquanto, na literatura, a forma é compreendida como portadora, em si, de informação estética, em jornalismo a ênfase desloca-se para os conteúdos, para o que é informado. O jornalismo se propõe a processar informação em escala industrial e para consumo imediato." Nilson Lage

Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros

O jornalismo como o conhecemos, isto é, o jornalismo como instituição da cidadania, e como as democracias procuram preservá-lo, é uma vitória da ética". (BUCCI)

O atual Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros (CEJB) foi criado no Congresso Nacional dos Jornalistas em 1987. Em 2007, outro Congresso Nacional dos Jornalistas - realizado em Vitória, no Espírito Santo – atualizou o antigo Código dando origem ao texto que temos atualmente.