Gêneros e Formatos Radiofônicos

Gênero radiofônico define as características "gerais" do programa. Formato é o contorno do programa, a estrutura na qual os conteúdos são encaixados. Ou seja, a forma como o gênero é apresentado. Os Gêneros são os "modelos abstratos". E os Formatos são os "moldes concretos" de realização. Os principais formatos adotados pelas AMs e FMs se classificam como puro e híbridos.   

Sonoplastia

Sonoplastia é a reconstituição de ruídos, efeitos acústicos e musicais de programas de rádio. A função dos efeitos sonoros é adicionar drama, comédia, ou, reforçar o que já está presente. Os seus objetivos principais são a simulação da realidade, a criação da ilusão e o estabelecimento do ambiente. A primeira regra do sound design(ver um som, ouvir um som). Dentro do roteiro de produção e, depois, no roteiro de programa ou edição, toda a sonoplastia já deve estar descrita em detalhes. 

Roteiro de TV

Em rádio e TV, o texto que estabelece como será desenvolvido um programa - tão elaborado, que sirva de guia ou script, podendo ser desdobrado em outros textos, falas ou intervenções. O texto sinalizado - "mais lento", "engraçado", "dramático", "enfático", etc. - para o locutor. O texto ou conjunto de recomendações escritas que é xerocado, marcado e distribuído junto a todos os envolvidos em uma transmissão"Juarez Bahia 

Glossário Básico de Rádio

  • AM - sigla de amplitude modulada. Sua frequência varia de 550 a 1600 Khz. As faixas Ondas Media, Ondas Tropicais e Ondas Curtas adotam a modulação AM. 

  • Antena PT (Plano Terra) - Responsável pelo envio e propagação do sinal. 

  • Áudio Balanceado - Utiliza três condutores para o sinal de áudio: Positivo, Negativo e Terra. 

  • Codificação e Decodificação - a estrutura básica é dividida em Preparação, Transmissão e Recepção. 

Direitos Autorais e de Imagem

A revolução tecnológica vem criando novas formas digitais de produção e distribuição da informação. A mídia impressa e a eletrônica estão se fundiram, criando infinitas possibilidades de escolha e acesso a uma grande quantidade de informações aos cidadãos. 

Regulamentação da Profissão de Jornalista

A regulamentação do exercício profissional do jornalismo se deu pelo Decreto-Lei 972/69, posteriormente regulamentado pelo Decreto 83.284/79De acordo com esses regulamentos, a profissão previa a formação de nível superior específica em jornalismo como requisito para o exercício profissional. Contudo, essa norma foi modificada por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), em 2009, que considerou inconstitucional a exigência  do diploma de jornalismo e o registro profissional no Ministério do Trabalho como condição para o exercício da profissão.   

Roteiro de Rádio

Em rádio e TV, o texto que estabelece como será desenvolvido um programa - tão elaborado, que sirva de guia ou script, podendo ser desdobrado em outros textos, falas ou intervenções. O texto sinalizado - "mais lento", "engraçado", "dramático", "enfático", etc. - para o locutor. O texto ou conjunto de recomendações escritas que é xerocado, marcado e distribuído junto a todos os envolvidos em uma transmissão". Juarez Bahia


Teoria da Nova História

A Teoria da Nova História surgiu na França. Os teóricos da Nova História, reunidos na Escola dos Anais, defendem uma nova atitude dos historiadores e jornalistas diante dos acontecimentos, na qual é preciso questionar fontes, arquivos e até documentos considerados oficiais. Para eles, deve-se interpretar a história não a partir dos eventos, mas tomando como referências os pressupostos de formação desses mesmos eventos.

Teoria do Agir Comunicativo

Teoria desenvolvida pelo filósofo e sociólogo da Escola de Frankfurt, Jürgen Habermas. Nela, Habermas introduz o conceito de razão comunicativa, contrapondo-se à ideia de que a razão instrumental constitua a própria racionalização da sociedade ou o único padrão de racionalização possível.

Teoria Etnográfica

A Teoria Etnográfica busca enxergar e compreender a diversidade cultural e lingüística na complexidade dos diferentes pontos de vista. Para isso, é preciso evitar o etnocentrismo (tomar o mundo pelo centro de nossa própria cultura), ou seja, subverter a lógica unilateral de nossos próprios limites conceituais, por meio da relativização. Para essa teoria, a realidade não é uma via de mão única, nem tem lados demarcados e enumerados.