Fazer questões

Questões por página: Imprimir

Na Prova Discursiva-Redação, deverão ser rigorosamente observados os limites mínimo de 20 (vinte) linhas e máximo de 30 (trinta) linhas, sob pena de perda de pontos a serem atribuídos à Prova Discursiva-Redação. 

A Prova Discursiva-Redação terá caráter eliminatório e classificatório e será avaliada na escala de 0 a 100, considerando-se habilitado o candidato que nela obtiver nota igual ou superior a 60 pontos.” 

Instruções:

− NÃO é necessária a colocação de Título na Prova Discursiva-Redação.

Em capítulo “Os atos do Estado” (em Sobre o estado: cursos no Collège de France (1989-92)), o sociólogo fran- cês Pierre Bourdieu refere que analisou a diferença entre um julgamento feito por uma pessoa autorizada e um julgamento privado.

Essa temática sugere reflexões relacionadas, por exemplo, a: quem representa o poder central?; quem vigiará os vigilantes legitimados pelo Estado?; que efeitos os diferentes julgamentos provocam no mundo social?

Redija uma dissertação expondo, de modo claro e coerente, seu ponto de vista sobre o tema. Seus argumentos − contemplando ou não as reflexões acima, ou, ainda, ampliando-as −, devem ser tratados de maneira a dar consistência a seu texto.

Considere as assertivas sobre a medição de audiência em mídias distintas:

  1. Em mídia impressa, a audiência é medida pelo resultado da diferença entre a tiragem e a circulação de um determinado jornal ou revista.

  2. Em rádio é usado um questionário com uma amostragem urbana no qual se responde quais emissoras foram ouvidas nas últimas 48 horas.

  3. Em TV é realizada com uma amostragem de domicílios em todo o país, mantidos em sigilo, que recebem um aparelho chamado Peoplemeter.

  4. Em web a audiência pode ser medida a partir de uma amostragem voluntária que recebe software de coleta de informações.

Está correto o que se afirma APENAS em 

A comunicação organizacional integrada é formada por um mix que compreende 

O Conselho Nacional do Ministério Público é o órgão responsável pelo controle da atuação administrativa e financeira do Ministério Público e do cumprimento dos deveres funcionais de seus membros. No seu dia a dia produz documentos divulgados em formato digital, tais como atas e pautas de sessões, relatórios de atividades, resoluções, legislação e arquivos de áudio de todas as sessões realizadas desde 2006. 

Na montagem de um ecossistema de redes, a plataforma mais adequada para abarcar este conteúdo, funcionando como uma biblioteca que pode ser replicada nas demais redes, é 

Em marketing, analisar o mercado e dividi-los em grupos (demográficos, de necessidades e de comportamento por exemplo) e/ ou níveis para definir onde e como as forças de venda atuarão é o que se chama 

Como é a legislação da publicidade no Brasil?

A publicidade infantil no Brasil, tema da redação do Enem neste domingo, é regida por algumas normas contidas na Constituição Federal, no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e no Código de Defesa do Consumidor. No entanto, a Resolução 163 do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), publicada em março deste ano, é a mais contundente por restringir a publicidade para crianças (até 12 anos, conforme o ECA).

Suas principais decisões dizem respeito ao que é abusivo na publicidade para crianças. São elementos abusivos, conforme o texto:

  • Linguagem infantil, efeitos especiais e excessos de cores;
  • Trilhas sonoras de músicas infantis ou cantadas por vozes de criança
  • Representação de criança;
  • Pessoas ou celebridades com apelo ao público infantil:
  • Personagens ou apresentadores infantis;
  • Desenho animado ou de animação;
  • Bonecos ou similares;
  • Promoção com distribuição de prêmios ou de brindes colecionáveis ou com apelos ao público infantil;
  • Promoções com competições ou jogos com apelo ao público infantil.

(Zero Hora, 9 de novembro de 2014, disponível em <http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/2014/11/como-e-a-legislacao-da-publicidade- infantil-no-brasil-4639339.html>)

Considerando os princípios éticos atualmente admitidos entre profissionais e empresas da área de propaganda, com esta resolução 

O tipo de campanha mais adequado para destacar um órgão, como o Conselho Nacional do Ministério Público, perante a sociedade é uma campanha 

Considere as seguintes normas estabelecidas no Código de Ética dos Profissionais de Propaganda:

  1. Os veículos de propaganda reconhecem a necessidade de manter os corretores e as agências como fonte de negócios e progresso dos seus empreendimentos e, por isso, a eles reservam o pagamento da comissão com exclusão de quaisquer outros indivíduos ou entidades.

  2. A tabela de preços é pública e igual para todos os compradores, dentro de iguais condições, incumbindo ao veículo observá-la e fazê-la observar por todos os seus agentes ou prepostos, cujo reconhecimento como tal poderá ser cancelado por infração deste dispositivo.

  3. Aos veículos de propaganda fica naturalmente reservado o direito de dar ou não crédito à agência, não sendo lícito, porém, negar-lhe a comissão ou recusar-lhe a divulgação do anúncio quando pago à vista. Excetuam-se os casos em que a matéria não se enquadre dentro da ética ou quando a agência tenha deixado de ser reconhecida pelo veículo, do que lhe deve ser dado aviso com 90 dias de antecedência.

Identifica-se que o fio condutor da atuação ética do profissional de Publicidade e Propaganda é 

Os conceitos-chave que são elementos estratégicos básicos na elaboração de um plano de mídia são 

Mais recentemente, um estudo sobre o comportamento da dona de casa brasileira de classe média encontrou na maioria das casas visitadas a seguinte situação:

A mulher entrevistada declarava enfaticamente que comprava as coisas para seu lar pela qualidade, em primeiro lugar, pela confiança que tinha no fabricante, em segundo, e pelo preço, em terceiro, sem que a propaganda tivesse uma participação maior em sua decisão do que (onde, quando e como) comprar.

Em seguida, pedia-se para que a dona de casa mostrasse sua casa, os eletrodomésticos existentes e os produtos de consumo estocados ou em uso.

Pois bem, quase todas as mulheres que tinham se declarado pouco influenciáveis pela propaganda haviam comprado grande parte daquilo que possuíam em casa por razões essencialmente idênticas às difundidas pelas campanhas publicitárias então veiculadas, dos diversos produtos e utilidades domésticas.

E pode-se ter certeza de que isso foi muito mais do que apenas mera coincidência.

(SAMPAIO, Rafael: Propaganda: Arte, Ciência ou Técnica? In: Propaganda de A a Z. São Paulo: Campus, 2003. p. 24) Uma campanha pode ser responsável pelo sucesso ou fracasso de um produto, uma organização, ser inútil ou gerar malefícios.

Diante da sua capacidade de persuasão, a propaganda deve ser usada