Fazer questões

Questões por página: Imprimir

Que diferenças e semelhanças existem entre a página de um jornal impresso e o próprio site jornalístico do mesmo veículo de comunicação? A pauta, a apuração, a redação e a edição das notícias e reportagens podem ser muito semelhantes ou até repetir a linha editorial desse veículo, em cada mídia, mas a maneira de apresentar as matérias jornalísticas, em função do tipo da mídia, tem diferenças acentuadas. 

Pode-se afirmar que a principal diferença entre um e outro é:

Em “Planejamento da Comunicação – curso essencial” (Editora Atlas, 2011), Maurício Tavares e Ione Gomes Tavares apontam que a evolução da comunicação de marketing se deve às mídias e novas técnicas de comunicação como celulares, mídias alternativas, TV digital, valorização de ações promocionais, marketing viral, buzz marketing, links patrocinados e blogs. 

Com a sociedade cada vez mais informada, ficou também evidente que 

Ao explicar o processo mercadológico, J. B. Pinho (Comunicação e Marketing, Papirus, 1991) advertiu para o fato de que, já naquela época, o marketing não era mais a empresa simplesmente desenvolver um bom produto, determinar corretamente o seu preço e colocá-lo em locais acessíveis ao consumidor. “A empresa que quiser contar com um programa contínuo e estruturado de vendas necessita desenvolver um programa eficaz de comunicação e promoção.” Relacionou, então, as variáveis controláveis e incontroláveis que precisam ser observadas nas várias ações de um plano de marketing. 

E indicou como variáveis incontroláveis para uma empresa:

O profissional de comunicação corporativa precisa saber os fundamentos da pesquisa, incluindo a pesquisa quantitativa, recomenda Janete Oliveira em “Com credibilidade não se brinca – a identidade corporativa como diferencial nos negócios” (Summus Editorial, 2004). Isso porque, explica, mesmo que o profissional não tenha de produzir a pesquisa, a ferramenta em si se revela útil para a condução das ações. De um modo geral, a pesquisa quantitativa serve para conhecer o perfil de clientes e/ou consumidores, avaliar o grau de satisfação com produtos e serviços, verificar o retorno de anúncios e de propagandas etc. 

Em suma, a pesquisa quantitativa permite: 

Qual a função do projeto gráfico nos veículos impressos e nos sites desses veículos? Antes de tudo, permite uma espécie de diálogo: o leitor ou internauta sabe logo qual a notícia ou reportagem mais importante pela simples colocação dela, tamanho do título, destaque à foto ou imagem. No jornal impresso e no site, o editor indica essa colocação e o design (antigo diagramador) ou o webdesigner (paginador) ocupa o espaço determinado, fazendo a editoração de título, texto, fotos/imagens e outros recursos gráficos (tabelas, mapas, infográficos, charges etc.). Edição e editoração seguem o projeto gráfico e se processam no computador, em um programa de paginação eletrônica que facilita a digitalização de matérias jornalísticas. 

Em consequência, o projeto gráfico antes de tudo 

O recall (chamamento) de proprietários de veículos, principalmente carros e motos, resulta da existência do Código de Defesa e Proteção do Consumidor. Como fornecedor do produto, o fabricante ou a montadora do veículo é obrigado a informar, “de maneira ostensiva e adequada”, a respeito de eventual perigo para a segurança do condutor e demais ocupantes do veículo. 

Essa “maneira ostensiva e adequada”, segundo o teor expresso na Lei nº 8.078 que criou o CDC, tem de ser 

Para fiscalizar a publicidade, o Conar se norteia pelas disposições contidas no Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, elaborado em 1978 durante o III Congresso Brasileiro de Propaganda. O Conar foi fundado e é mantido por agências de propaganda, empresas anunciantes e veículos de comunicação, que acatam o resultado dos pareceres do Conselho de Ética dessa organização não governamental. O Conselho de Ética do Conar recebe e examina denúncias dos que se sentem prejudicados ou ofendidos por anúncios e/ou mensagens publicitárias. 

Ou seja, a queixa pode ser feita: 

Toda matéria jornalística precisa de um roteiro, como ocorre na “história” contada através de todas as formas e meios de comunicação, inclusive na internet dos curtas e dos games. Roteiro ou roteirização é, em síntese, o caminho do texto da narrativa, não necessariamente seguindo a ordem cronológica, por exemplo, de fatos e acontecimentos ligados a contextos históricos ou ciclos econômicos. Roteirizar o texto de reportagem é previamente visualizá-lo antes mesmo da apuração dos fatos e das entrevistas. Depois, segue-se ou adapta-se este roteiro e se fecha o texto, como o roteirista de filmes ou novelas age em relação a cenas e capítulos. 

Então, o roteiro/roteirização da matéria jornalística 

Outra importante atividade dos profissionais de RP é produzir textos de divulgação através de notas para os veículos de comunicação social. São aqueles igualmente antigos e tradicionais press-releases sobre temas relevantes para as empresas ou instituições diversas, como participação em feiras, simpósios e congressos, inauguração de unidades fabris ou comerciais. Objetivam principalmente despertar a mídia para a publicação ou cobertura de certo evento ou de entrevistas. 

Como abrem, renovam ou expandem o diálogo com os veículos de comunicação, devem ser acrescentados, após o parágrafo final desses textos:

A navegação na internet tem efeitos imediatos sobre dois tradicionais fundamentos da comunicação: as noções de tempo e de espaço. Na verdade, esses impactos significam uma revolução para a sociedade comparável à descoberta de que não era o sol que girava em torno da Terra, mas a Terra quem está na órbita do sol. Poucos talvez percebam os alcances da nova Era da Comunicação. Agora basta, para a interlocução, que uma pessoa esteja interagindo com outra, na web, independente das fronteiras entre países ou das diferenças de fuso horário. Ao longo da evolução da Comunicação, já ocorreram fatos considerados de menor relevância que trouxeram mudanças importantes. Por exemplo, poucos talvez saibam que o cinema deixou de ser mudo em função do advento do rádio, que trouxe destaque para o áudio e uma série de consequências para a música e outras artes. 

Assim, hoje se pode afirmar que