Fazer questões

Questões por página: Imprimir

Seja em uma notícia ou reportagem, livro, peça teatral, filme ou novela de televisão, o título formado por palavras em corpo maior tem a principal função de destacar logo o conteúdo da história narrada a partir de um assunto interessante escolhido pelo autor. No jornalismo impresso, com o uso de tipologia e tamanhos diferentes de letras, há ainda outros recursos gráficos para destacar o conteúdo e informações do próprio texto da matéria, notícia ou reportagem. 

São considerados destaques, na paginação das matérias jornalísticas: 

Que diferenças e semelhanças existem entre a página de um jornal impresso e o próprio site jornalístico do mesmo veículo de comunicação? A pauta, a apuração, a redação e a edição das notícias e reportagens podem ser muito semelhantes ou até repetir a linha editorial desse veículo, em cada mídia, mas a maneira de apresentar as matérias jornalísticas, em função do tipo da mídia, tem diferenças acentuadas. 

Pode-se afirmar que a principal diferença entre um e outro é:

Em “Planejamento da Comunicação – curso essencial” (Editora Atlas, 2011), Maurício Tavares e Ione Gomes Tavares apontam que a evolução da comunicação de marketing se deve às mídias e novas técnicas de comunicação como celulares, mídias alternativas, TV digital, valorização de ações promocionais, marketing viral, buzz marketing, links patrocinados e blogs. 

Com a sociedade cada vez mais informada, ficou também evidente que 

Ao explicar o processo mercadológico, J. B. Pinho (Comunicação e Marketing, Papirus, 1991) advertiu para o fato de que, já naquela época, o marketing não era mais a empresa simplesmente desenvolver um bom produto, determinar corretamente o seu preço e colocá-lo em locais acessíveis ao consumidor. “A empresa que quiser contar com um programa contínuo e estruturado de vendas necessita desenvolver um programa eficaz de comunicação e promoção.” Relacionou, então, as variáveis controláveis e incontroláveis que precisam ser observadas nas várias ações de um plano de marketing. 

E indicou como variáveis incontroláveis para uma empresa:

O profissional de comunicação corporativa precisa saber os fundamentos da pesquisa, incluindo a pesquisa quantitativa, recomenda Janete Oliveira em “Com credibilidade não se brinca – a identidade corporativa como diferencial nos negócios” (Summus Editorial, 2004). Isso porque, explica, mesmo que o profissional não tenha de produzir a pesquisa, a ferramenta em si se revela útil para a condução das ações. De um modo geral, a pesquisa quantitativa serve para conhecer o perfil de clientes e/ou consumidores, avaliar o grau de satisfação com produtos e serviços, verificar o retorno de anúncios e de propagandas etc. 

Em suma, a pesquisa quantitativa permite: 

Qual a função do projeto gráfico nos veículos impressos e nos sites desses veículos? Antes de tudo, permite uma espécie de diálogo: o leitor ou internauta sabe logo qual a notícia ou reportagem mais importante pela simples colocação dela, tamanho do título, destaque à foto ou imagem. No jornal impresso e no site, o editor indica essa colocação e o design (antigo diagramador) ou o webdesigner (paginador) ocupa o espaço determinado, fazendo a editoração de título, texto, fotos/imagens e outros recursos gráficos (tabelas, mapas, infográficos, charges etc.). Edição e editoração seguem o projeto gráfico e se processam no computador, em um programa de paginação eletrônica que facilita a digitalização de matérias jornalísticas. 

Em consequência, o projeto gráfico antes de tudo 

O recall (chamamento) de proprietários de veículos, principalmente carros e motos, resulta da existência do Código de Defesa e Proteção do Consumidor. Como fornecedor do produto, o fabricante ou a montadora do veículo é obrigado a informar, “de maneira ostensiva e adequada”, a respeito de eventual perigo para a segurança do condutor e demais ocupantes do veículo. 

Essa “maneira ostensiva e adequada”, segundo o teor expresso na Lei nº 8.078 que criou o CDC, tem de ser 

Para fiscalizar a publicidade, o Conar se norteia pelas disposições contidas no Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, elaborado em 1978 durante o III Congresso Brasileiro de Propaganda. O Conar foi fundado e é mantido por agências de propaganda, empresas anunciantes e veículos de comunicação, que acatam o resultado dos pareceres do Conselho de Ética dessa organização não governamental. O Conselho de Ética do Conar recebe e examina denúncias dos que se sentem prejudicados ou ofendidos por anúncios e/ou mensagens publicitárias. 

Ou seja, a queixa pode ser feita: 

Toda matéria jornalística precisa de um roteiro, como ocorre na “história” contada através de todas as formas e meios de comunicação, inclusive na internet dos curtas e dos games. Roteiro ou roteirização é, em síntese, o caminho do texto da narrativa, não necessariamente seguindo a ordem cronológica, por exemplo, de fatos e acontecimentos ligados a contextos históricos ou ciclos econômicos. Roteirizar o texto de reportagem é previamente visualizá-lo antes mesmo da apuração dos fatos e das entrevistas. Depois, segue-se ou adapta-se este roteiro e se fecha o texto, como o roteirista de filmes ou novelas age em relação a cenas e capítulos. 

Então, o roteiro/roteirização da matéria jornalística 

Outra importante atividade dos profissionais de RP é produzir textos de divulgação através de notas para os veículos de comunicação social. São aqueles igualmente antigos e tradicionais press-releases sobre temas relevantes para as empresas ou instituições diversas, como participação em feiras, simpósios e congressos, inauguração de unidades fabris ou comerciais. Objetivam principalmente despertar a mídia para a publicação ou cobertura de certo evento ou de entrevistas. 

Como abrem, renovam ou expandem o diálogo com os veículos de comunicação, devem ser acrescentados, após o parágrafo final desses textos: