Fazer questões

Questões por página: Imprimir

O recall (chamamento) de proprietários de veículos, principalmente carros e motos, resulta da existência do Código de Defesa e Proteção do Consumidor. Como fornecedor do produto, o fabricante ou a montadora do veículo é obrigado a informar, “de maneira ostensiva e adequada”, a respeito de eventual perigo para a segurança do condutor e demais ocupantes do veículo. 

Essa “maneira ostensiva e adequada”, segundo o teor expresso na Lei nº 8.078 que criou o CDC, tem de ser 

Para fiscalizar a publicidade, o Conar se norteia pelas disposições contidas no Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária, elaborado em 1978 durante o III Congresso Brasileiro de Propaganda. O Conar foi fundado e é mantido por agências de propaganda, empresas anunciantes e veículos de comunicação, que acatam o resultado dos pareceres do Conselho de Ética dessa organização não governamental. O Conselho de Ética do Conar recebe e examina denúncias dos que se sentem prejudicados ou ofendidos por anúncios e/ou mensagens publicitárias. 

Ou seja, a queixa pode ser feita: 

Toda matéria jornalística precisa de um roteiro, como ocorre na “história” contada através de todas as formas e meios de comunicação, inclusive na internet dos curtas e dos games. Roteiro ou roteirização é, em síntese, o caminho do texto da narrativa, não necessariamente seguindo a ordem cronológica, por exemplo, de fatos e acontecimentos ligados a contextos históricos ou ciclos econômicos. Roteirizar o texto de reportagem é previamente visualizá-lo antes mesmo da apuração dos fatos e das entrevistas. Depois, segue-se ou adapta-se este roteiro e se fecha o texto, como o roteirista de filmes ou novelas age em relação a cenas e capítulos. 

Então, o roteiro/roteirização da matéria jornalística 

Outra importante atividade dos profissionais de RP é produzir textos de divulgação através de notas para os veículos de comunicação social. São aqueles igualmente antigos e tradicionais press-releases sobre temas relevantes para as empresas ou instituições diversas, como participação em feiras, simpósios e congressos, inauguração de unidades fabris ou comerciais. Objetivam principalmente despertar a mídia para a publicação ou cobertura de certo evento ou de entrevistas. 

Como abrem, renovam ou expandem o diálogo com os veículos de comunicação, devem ser acrescentados, após o parágrafo final desses textos:

A navegação na internet tem efeitos imediatos sobre dois tradicionais fundamentos da comunicação: as noções de tempo e de espaço. Na verdade, esses impactos significam uma revolução para a sociedade comparável à descoberta de que não era o sol que girava em torno da Terra, mas a Terra quem está na órbita do sol. Poucos talvez percebam os alcances da nova Era da Comunicação. Agora basta, para a interlocução, que uma pessoa esteja interagindo com outra, na web, independente das fronteiras entre países ou das diferenças de fuso horário. Ao longo da evolução da Comunicação, já ocorreram fatos considerados de menor relevância que trouxeram mudanças importantes. Por exemplo, poucos talvez saibam que o cinema deixou de ser mudo em função do advento do rádio, que trouxe destaque para o áudio e uma série de consequências para a música e outras artes. 

Assim, hoje se pode afirmar que 

96
Prova: Prefeitura Municipal de Sabará - MG
Ano: 2017    Banca: Consulplan    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Jornalismo
Assunto: Webjornalismo

Em “Jornalismo Digital” (Editora Contexto, 2003), Pollyama Ferrari já identificava que o formato da notícia na web havia preservado conceito tradicional do jornalismo, que é o uso do lide para a abertura da matéria. Na verdade, profissionais da mídia impressa chamam de “lide clássico” este tipo de abertura usado nos sites, com o primeiro parágrafo da matéria respondendo logo “quem fez o quê, quando, onde e o porquê”, assinalados pela autora daquele pioneiro livro sobre informação jornalística nos meios digitais. O jornal impresso também hoje é editado numa tela de computador e o espaço de qualquer matéria pode ser previamente conhecido, facilitando que as respostas do lide clássico pudessem ser distribuídas ao longo dos demais parágrafos do texto. 

Sendo mídia considerada mais avançada, qual a principal razão de voltar-se nos sites à velha forma do jornal impresso? 

O profissional da Comunicação Corporativa, além da boa formação adquirida em Universidades, deve também saber lidar com uma situação adversa e imprevisível, advertem Maristela Mafei e Valdete Cecato, em “Comunicação Corporativa – Gestão, Imagem e Posicionamento” (Editora Contexto, 2011). O Plano de Comunicação precisa funcionar como a linha mestra do relacionamento com o cliente. Como documento estratégico, exige que profissional da Comunicação Corporativa tenha sempre em mente como a empresa quer ser percebida pelos seus públicos. E simultaneamente, por isso, estar preparado para agir diante de crises adversas e imprevistas. 

Pode-se então afirmar que essa situação: 

Relações públicas são profissionais da Comunicação Social dedicados à informação de caráter institucional na relação entre entidades e o público, através dos meios e formas de comunicação; e, igualmente, promovem coordenação e planejamento de pesquisas de opinião pública, também para fins institucionais; além, ainda, de serem responsáveis pelo planejamento e execução de campanhas de opinião pública. As empresas ou entidades se valem, através do RP, de um veículo considerado ideal para a interação com o público interno (funcionários): é o tradicional jornal mural, não apenas o do espaço nas paredes (daí, mural), mas hoje informativo digital, via intranet. 

O mural, de custo relativamente barato, tem como algumas de suas principais características funcionais: 

O Código de Proteção e Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078, de 11/09/1990), na Seção III (“Da Publicidade”), no Artigo 37, proíbe toda publicidade enganosa ou abusiva. Considera enganosa, por exemplo, qualquer publicidade inteira ou parcialmente falsa. Define como abusiva, por sua vez, a publicidade discriminatória de qualquer natureza; a que explore o medo e a superstição; e, a que se aproveite da deficiência de julgamento e experiência da criança. 

E quem tem de provar que a publicidade não é enganosa ou abusiva? 

Um texto, para ser comunicativo, passa obrigatoriamente por um processo de seleção, ordenação e sequência de dados e informações, para melhor e mais rápido entendimento por parte de quem lê. Os parágrafos, de preferência, devem ter tamanho uniforme (por exemplo, em média de cinco linhas cada) para dar um bom ritmo à leitura. O comunicador social, principalmente o jornalista, deve sempre usar palavras simples (a todos acessíveis) e claras (que não permitam dúvidas quanto ao seu sentido), colocadas em frases diretas (sujeito, verbo e complementos) e objetivas (indo direto ao assunto). Os parágrafos assim formados permitem que as ideias e informações possam fluir melhor. 

Em qualquer tipo de texto, o encadeamento lógico dos parágrafos no texto evita, principalmente: