Fazer questões

Questões por página: Imprimir
A aplicação da pesquisa de opinião extrapolou os limites do campo político, no qual despontou com intensidade, e hoje é um reconhecido método de investigação científica para a maioria dos campos de conhecimento. (NOVELI, 2006)

Sobre a pesquisa de opinião, NÃO é correto afirmar:
2
Prova: Ministério da Justiça
Ano: 2015    Banca: Funcab    Cargo: Jornalismo
Disciplina: Comunicação Social
Assunto: Teorias da Comunicação

A hipótese dos usos e das gratificações traz como grande diferença:

3
Prova: Departamento de Polícia Federal
Ano: 2004    Banca: CESPE    Cargo: Jornalismo
Disciplina: Comunicação Social
Assunto: Teorias da Comunicação

Na atualidade, a mídia de massa, além de transmitir informações, preserva a memória cultural dos povos e possibilita o surgimento de novas linguagens, o que torna o processo de comunicação mais simples.

4
Prova: Departamento de Polícia Federal
Ano: 2004    Banca: CESPE    Cargo: Jornalismo
Disciplina: Comunicação Social
Assunto: Teorias da Comunicação

O processo de comunicação de interesse da pesquisa científica é aquele que se presta à abordagem empírica, ou seja, que se dá conscientemente

5
Prova: SERPRO
Ano: 2008    Banca: CESPE    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Comunicação Social
Assunto: Opinião Pública e Pesquisa de Opinião

Deve-se levar em conta que, na sociedade atual, o indivíduo é levado a assumir cada vez mais uma série de papéis que, às vezes, chegam a ser antagônicos e contraditórios. E o problema das lealdades múltiplas, referentes aos diversos papéis que o indivíduo é obrigado a assumir, prejudica a formação da opinião pública e torna mais complexo seu estudo. Sara da Viá. Opinião pública: técnica de formação e problemas de controle, 1983, p. 13 (com adaptações). 

Acerca do tema tratado no fragmento de texto acima, das teorias de opinião pública, das técnicas de pesquisa de opinião e das formas de interatividade na comunicação, julgue os itens

As perguntas de controle são utilizadas nas pesquisas de opinião para aperfeiçoar os instrumentos de interatividade. Esse recurso é largamente utilizado nas enquetes realizadas pelos portais corporativos sobre temas de interesse geral. 

Em A transparência do mal, Baudrillard escreve: Sou um homem, sou uma máquina? Não há mais resposta para essa questão antropológica. Essa frase consegue resumir a posição do filósofo em relação à tecnologia, que é de
No que se refere às diferentes modalidades de pesquisa, assinale a opção correta.
8

Não há temor maior para empresários, políticos e profissionais de sucesso do que ter suas reputações fortemente abaladas, ou até mesmo destruídas, em decorrência de uma situação crítica que provoque a reação direta da opinião pública. Internet:. Camila P. Bertoldo. Crise de imagem: um calcanhar-de-aquiles. Revista Pensamento Comunicacional Latino-Americano, PCLA , v.4, n. 4, 2003. Acesso em 27/5/2005. 

Tomando o texto acima como ponto de partida, julgue os itens subseqüentes.

Opinião pública é preocupação exclusiva de jornalistas, pois são eles os formadores de opinião na sociedade contemporânea.

Diz Sfez (2007, p. 18): “A comunicação não é maquínica, mas compreensiva. Ela emerge em momentos de ruptura. A vivência do mundo é captada, tecnicizada por atores responsáveis. E é, então, transformada e colonizada. Mas não perdeu todas as chances... Desde que, claro, escape das estratégias lineares do sucesso e se oriente para o entendimento. Pois a estratégia do sucesso não pode assegurar a transmissão de valores”. Em 21 de julho de 2014, no portal do jornal “Folha de S. Paulo”, havia a manchete “Mundo desperdiça 30% dos alimentos produzidos”, com o seguinte texto: “A alta no preço dos alimentos e o aumento previsto para a demanda nos países emergentes colocaram o desperdício no centro do debate sobre segurança alimentar. Os volumes perdidos justificam a preocupação. Segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são perdidos ou desperdiçados por ano em todo o mundo – o equivalente a 30% de tudo o que é produzido. O número considera perdas em todos os estágios – do campo ao prato. E, apesar de os alimentos pesarem cada vez mais no bolso, o maior índice de perdas (35%) ocorre no consumo, puxado pelos países desenvolvidos, responsáveis por 56% do desperdício, segundo o Banco Mundial. Quem nunca recusou uma cenoura porque estava torta demais? Ou quebrou a pontinha de um quiabo para saber se estava no ponto para levar para casa? São ações que parecem inofensivas, mas pesam nas estatísticas. Afinal, ninguém vai comprar aquele quiabo que ficou com a pontinha quebrada na banca. Será, portanto, desperdiçado. Estudo divulgado no mês passado pelo painel de especialistas em segurança alimentar das Nações Unidas analisa os efeitos desse desperdício. Entre eles está a menor oferta de comida no mundo e, como consequência, preços elevados. Por outro lado, destaca o estudo, preços mais altos tendem a incentivar maior cuidado com os alimentos – teoria que ajuda a explicar a maior preocupação com o desperdício atualmente e as novas iniciativas para reduzi-lo”. (FONTE: FOLHA DE S. PAULO, 21 de julho de 2014). 

Sobre os trechos citados e a teoria da comunicação, é possível afirmar que a explicação de Sfez (2007, p. 18) refere-se ao pensamento de:
10

Desenvolvimento sustentável significa crescer, melhorar, mas, ao mesmo tempo, garantir qualidade de vida para as gerações futuras.