Fazer questões

Questões por página: Imprimir
41
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
No livro Telemarketing Total − Como Obter Resultados Positivos e Imediatos (McGraw Hill, 1999), Robert J. Mchatton sugere ações minuciosamente planejadas para implantar e operar um programa de telemarketing, envolvendo organização de sistemas de informação, layout, treinamento de pessoal, testes, gerenciamento e revisões. No entanto, tais programas costumam obter sucesso quando 
42
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
Enquanto a propaganda surte efeitos de longo prazo, a promoção de vendas é uma ferramenta para melhorar resultados em curto prazo, ganhar rapidamente market share e contra-atacar atividades de concorrentes. Usar este recurso promocional como forma de reação a uma promoção de preços de um concorrente 
43
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
Na escolha de estratégias para elaborar promoções de vendas, pode-se considerar que: 

I. premiações vinculadas a grandes gastos podem desestimular os demais consumidores. 
II. objetivos de curto prazo fartamente estabelecidos estimulam a força de vendas. 
III. programas multiníveis, com prêmios de baixo valor, podem funcionar como motivador. 
IV. premiação por desempenho, em vez de metas, abrem oportunidades mais amplas de ganhos. 

Está correto o que consta APENAS em
44
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
As vantagens de um produto ou serviço podem ser anuladas com um atendimento telefônico mal feito, descumprimento de prazos de entrega e emissão de notas fiscais imprecisas, por exemplo. Um dos erros mais comuns na organização do atendimento para garantir a satisfação do cliente é 
45
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
Em um mundo de alta competitividade, uma marca forte pode ser diferencial importante que atribui características emocionais na relação consumidor-produto. No trabalho de branding, as marcas podem ser diferenciadas em diversos tipos, sendo eles: 

I. commodity, referente a produtos muito comercializados mas sem uma ligação essencial com o fabricante, como metais preciosos, vegetais a granel etc. 
II. marcas de produtos ou serviços, normalmente diferenciados pelo fabricante/prestador pelos benefícios (funcionais ou emocionais) que oferecem em relação aos concorrentes. 
III. marca de sistema, quando o produto e o serviço se diferenciam mutuamente, exemplo clássico de redes de fast food. 
IV. marcas registradas ou marcas comerciais, com as quais o fabricante de produto ou prestador de serviço se resguarda legalmente contra cópias maliciosas. 

 Está correto o que consta APENAS em 
46
Vejo uma inquietude entre os líderes de marketing das empresas a respeito da integração entre os mundos físico e online. Até pouco tempo atrás, essa inquietude me parecia meramente uma preocupação: tirava o sono mas, no final de tudo, o pessoal de marketing conseguia dormir. Hoje, não dá para dormir mais, não. A sustentação e o crescimento do negócio agora esbarram exatamente nesse ambiente desintegrado. O problema virou um Everest que precisa ser escalado. Como unificar e harmonizar as operações das lojas física e online? Como dar uma experiência única e encantadora para o cliente? Como coordenar a distribuição entre esses canais? Como trabalhar o marketing? 
(...) É muito comum vermos consumidores consultando e pesquisando informações sobre produtos dentro das lojas, supermercados e magazines. Muitas vezes eles estão comparando preços em lojas concorrentes e se preparando melhor para desafiar os vendedores. O consumidor quer facilidade para pesquisar online suas demandas, tirar dúvidas, comparar produtos e preços em diferentes fornecedores para finalmente fazer a compra. Ou seja, ele quer transparência e conveniência. (Trecho do artigo As cinco prioridades dos consumidores em Omnichannel, de Mauro Segura, publicado em 21 de janeiro de 2014 no Meio & Mensagem) 

Com o desenvolvimento tecnológico na área de informação e comunicação, os canais de distribuição devem ser adequados
47
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
Um canal de distribuição serve para facilitar o trânsito de um produto, desde o fabricante até o usuário final. Para que este fluxo seja eficiente, este canal tem intermediários, normalmente revendedores, os quais, além de comprar e vender produtos, realizam 
48
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
Segundo Philip Kotler, em Marketing de A a Z, a gerência põe a empresa em risco quando fica em casa em vez de circular o mundo. Para perceber as ameaças e as oportunidades, os gestores de marketing devem 
49
Leia o texto a seguir, publicado na editoria de Saúde do portal www.estadao.com.br

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) lançou nesta segunda-feira, 20, quando é comemorado o Dia do Farmacêutico, uma campanha nacional contra a automedicação. Participam da ação os Estados de São Paulo, Santa Catarina, Bahia, Acre, Pará e o Distrito Federal. 
A campanha foi embasada em uma ação fictícia de marketing realizada em São Paulo, em dezembro do ano passado, para o lançamento de um novo medicamento. Uma equipe do CFF simulou ser promotora de vendas de uma indústria farmacêutica falsa e distribuiu 4 mil caixas de um medicamento inexistente para as pessoas que passavam pelo local. Havia até o boneco gigante da caixa do remédio. 
A embalagem do remédio falso, muito parecida com uma embalagem real, não tinha nome do fabricante nem o princípio ativo da medicação. Dentro, havia uma cartela com drágeas vazias e um alerta sobre os riscos da automedicação. 
A ideia era exatamente alertar a população sobre os riscos do consumo de remédios sem indicação. Durante a ação, enquanto o falso promoter entregava o medicamento, uma outra pessoa da equipe preenchia um formulário, observando três questões básicas: 1 − a pessoa perguntou quem era o fabricante do remédio? 2 − perguntou se havia contraindicação? 3 − perguntou quais eram as indicações da medicação? 
Os resultados são alarmantes: 85% das pessoas que receberam o remédio falso não perguntaram nada. Do total, 14,96% perguntaram para quê servia, menos de 1% questionaram se havia contraindicação e efeitos colaterais e só 0,35% perguntaram sobre o fabricante. 
"Os dados demonstram que as pessoas entendem que o medicamento é um produto qualquer, sem riscos. Elas aceitam receber um remédio como se estivessem recebendo um pacote de bolachas", avalia Pedro Menegasso, presidente do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (CRF-SP). 

Esta campanha pode ser considerada 
50
Prova: METRÔ - SP
Ano: 2014    Banca: FCC    Cargo: Comunicação Social
Disciplina: Publicidade e Propaganda
Assunto: Marketing
A segmentação do mercado nos dá a possibilidade de criar ações estratégicas buscando atender