D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

para a tag "radiojornalismo"

Características do Rádio

"O rádio, pelas suas características: adentramento, intimidade (fala ao indivíduo), regionalismo, imediatismo, mobilidade, acessibilidade, custo barato, função social e comunitária, continua sendo um poderoso meio de comunicação de massa". (BARBOSA FILHO)  

Possui ainda como características básicas: o uso apenas da linguagem oral, a penetração, sua mobilidade – tanto de emissor quanto de receptor, o baixo custo de produção, seu imediatismo, instantaneidade e autonomia, mas, principalmente, sua sensorialidade. 

Tipos clássicos de recepção das mensagens pelo rádio

Para BARONI e BALDO, no artigo O Rádio: Veículo de comunicação de massa e para a massa, do ponto de vista da recepção, o rádio tem como tipos clássicos de recepção: 

  • Ambiental – serve de pano de fundo 
  • Companhia – a audição acontece com atividade paralela 
  • Atenção concentrada – o ouvinte concentra sua atenção à mensagem 
  • Seleção intencional – o ouvinte se prepara e escolhe um programa

Paisagem Sonora

(Soundscape)"  Ambiente sonoro ou acústico. Uma paisagem sonora é composta pelos diferentes sons que compõe um determinado ambiente, sejam esses sons de origem natural, humana, industrial ou tecnológica. O estudo de paisagens sonoras enquadra-se no âmbito da Ecologia Acústica. O conceito se originou e definiu através do grupo de trabalho dirigido por R. Murray Schafer que fundou o World Forum for Acoustic Ecology e o World Soundscape Project. 

Manchetado

Texto Manchetado (Manchetar) - A forma manchetada de noticiário mais usada nos radiojornais. É considerado um aprimoramento dos radiojornais dos anos 40, em que trechos de uma mesma notícia eram lidos por diversos locutores. O texto de matéria editada para os jornais falados deve ser manchetado, começando sempre pelo lide. Deve-se redigir as notícias em frases curtas, sintéticas, duas a duas, para serem lidas, cada uma por um locutor, alternadamente. A apresentação é feita por dois ou três locutores, em geral com um fundo musical marcando o ritmo da leitura. O texto manchetado permite o uso de recursos interpretativos. Presente no boletim, quando o situa o feto em um quadro amplo, e em programas de entrevistas e debates.

Voz padrão

No rádio e na TV designa a voz do locutor que representa a emissora. Ela grava vinhetas, chamadas e identificações.

Take

Em rádio e TV significa Parte, trecho ou pedaço de um vídeo ou áudio.

Identificação

No rádio, trata dos dados da empresa, com o nome da emissora, número da frequência e prefixo que são gravados pela voz padrão.

Edição de Radiojornalismo

Seleção, manipulação e corte de trechos da sonora para que ela seja transmitida.

Relógio

Recurso da produção de rádio. Costuma ser montado pela produção executiva que é responsável pela grade com um todo. Pode ser desmembrado para o produtor de cada programa, em separado. Serve para organizar tudo que entra em cada hora e minuto na grade de programação. 

Arremate

Depois de um texto ou de uma matérias forte e convincente, é preciso caprichar no "arremate". Ele pode ser: Frase-resumo - usado principalmente no final das entrevistas. Pode ser interpretativo, Exclamação, Interrogação, Protesto e Ironia.

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro