D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

para a tag "Produção Gráfica"

Sangramento

Na diagramação, o sangramento é a ampliação da foto até as margens do papel. Ele aumenta a página na imaginação do leitor, o que fortalece o impacto não só da página, mas também do assunto da foto. Sangramento de página não deve ser usado com freqüência, não repetido em matérias em seqüência. São indicados principalmente para seções que tenham como base a imagem: seção impressões, seção ilustrado, entrevistas.

Arquivo Fechado

Termo utilizado para arquivos de computador em formato nativo da impressora onde este será impresso. Ex.: PS, PRN, PDF , etc.  

Overlay

Folha de papel transparente ou translúcido, colocado sobre a arte com a finalidade de protegê-la ou para anotar indicações sobre o que deve ser executado.

CTP

Computer to Plate - Processo de pré-impressão ou imagens em offset que um layout digital ou arquivo de imagens é gerado diretamente em uma chapa de impressão, em vez de no filme. A maioria das editoras de livros e revistas agora utiliza esse sistema, mais eficiente e mais preciso do que o sistema Computer to Film (CTF).

Cálculo de Texto

O cálculo de texto é uma importante ferramenta na diagramação. Se apresenta em duas formas: 1. Cálculo de texto para espaço determinado; 2. Cálculo de texto para espaço a determinar.

Papel Couché

Tipo de papel com alto brilho, alta brancura, alta opacidade e com sua superfície lisa e uniforme. É o papel de melhor qualidade de impressão, muito usado na impressão de folhetos, revistas, cartazes, livros de arte e outros impressos que exijam boa reprodução de retículas e traços. Quando o revestimento é aplicado em apenas um lado, chama-se couché L1. Se o revestimento é aplicado em ambos os lados, chama-se couché L2. O primeiro tipo é empregado em rótulos e embalagens, já o segundo é indicado para imprimir nos dois lados (livros, folhetos etc.). 

Moiré

Em artes gráficas e reprodução por impressão, há basicamente dois tipos de moiré: o moiré de scanner e o moiré de sobreposição de retículas.

  • Moiré de scanner - acontece quando os pontos de retícula são captados gerando padrões (rosáceas das retículas para gerar uma cor). Por isso deve-se digitalizar originais (fotos, cromos ou negativos) e não de impressos. Além de gerar texturas estranhas sobre a imagem, o moiré também pode alterar as cores originais e afetar a qualidade de impressão do seu material. 
  • Moiré de sobreposição - surge quando dois padrões de retícula – com frequência e/ou inclinações diferentes – são aplicados um sobre o outro, e os ângulos de retícula são configurados incorretamente. 


Paica

As unidades de medidas servem para determinar desde o tamanho do corpo, o tamanho dos caracteres até o tamanho das entrelinhas. Medida tipográfica correspondente a 12 pontos do sistema anglo-americano (aproximadamente 4,218 mm). A paica subdivide-se em 12 unidades de outra medida tipográfica, o ponto. 1 paica equivale a 12 pontos. Os tipos digitais, por sua vez, adotam a medida em paicas, mas fazem uma adaptação em relação à unidade. 

Grupo Família Romana Antiga

Segundo Collaro, o a família tipográfica Romana "foi criada pelos franceses, no século XVI, e inspirado na escrita monumental romana cravada a cinzel triangular sobre pedra ou bronze. É o mais legível dos caracteres por apresentar, na sua estrutura, um contraste entre as hastes, proporcionando ao leitor um descanso final. Suas serifas triangulares e a beleza de sua forma os tornam delicados e agradáveis à leitura".

Quadricomia

Técnica de impressão em quatro cores, que utiliza o sistema CMYK para reproduzir uma grande gama de cores a partir de cores básicas (ciano, magenta, amarelo e preto). Um impresso em quatro cores reproduz todo um espectro de cores a partir da decomposição de todas elas nas três cores primárias subtrativas mais o preto, ou seja, o ciano (C), magenta (M), amarelo (Y) e preto (K), daí o termo CMYK ou policromia. O tom específico e as características físicas de cada um dos pigmentos é tecnicamente definido, de modo que possam ser combinados e sobrepostos para reproduzir em cores realistas, fotos, desenhos em cores e gradientes cromáticos.

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro