D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

para a tag "Produção Gráfica"

Retícula

Segundo Rabaça e Barbosa " rede de pontos geralmente diminutos, ou de traços formando quadrículos, linhas ou quaisquer padrões, regulares, traçada sobre vidro ou película transparente, que se usa em ofsete, autotipia e heliogravura, para reprodução de originais a meio-tom. Colocada entre o original e uma placa sensível, a retícula decompõe a imagem (foto ou desenho) em numerosos pontos de tamanhos variados que, embora impressos com a mesma intensidade de tinta, produzem, por ilusão de ótica, o efeito das tonalidades intermediárias (do claro ao escuro, através de uma escala de grisês).

Joelho

Na diagramação, o joelho  (dog leg, pata de cachorro, em inglês) é formado por colunas de matérias que terminam em alturas diferentes. Para se evitar joelhos, as matérias têm que caber em um retângulo, não em um polígono. Mesmo assim, até grandes jornais como New York Times ou Folha de São Paulo cometem joelhos.

Zonas de Visualização

As zonas de visualização do layout são: Primária (principal), Secundária, áreas mortas, centro óptico, centro geométrico. A zona primária deve conter grande título, texto, foto. E a zona morta, conteúdo mais atrativo. 1. Primária; 2. Secundária; 3. Morta; 4. Morta; 5. Centro ótico; 6.Centro Geométrico

Impressão Digital

"A que utiliza recursos da informática, aplicados à reprodução de textos ou de imagens em qualquer suporte, utilizando como matriz um arquivo digital e sem intermediação de fotolitos ou chapas." Neiva

Litografia

"Antigo processo de gravação sobre pedra porosa, inventado por Senefleter por volta de 1796, e que consiste em fixar a imagem com tinta-graxa, por lápis ou pincel, na superfície da pedra, que é depois umedecida pelo contato de rolos molhadores. A água adere apenas às partes não cobertas pelas tintas-graxas e a tinta impressora contida nos rolos tinteiros, por sua vez, adere somente às áreas secas, que correspondem à imagem finalmente impressa no papel". Rabaça e Barbosa

Serigrafia

Processo de impressão criado em 1907 por Samuel Simon, um artesão inglês. Consiste em fazer passar a tinta, com um rolo ou rodo, através de uma tela de seda, náilon, aço inoxidável etc., para a superfície a ser impressa. A tela é preparada de diversas maneiras (impermeabilizada com verniz ou mesmo com papel formando uma espécie de máscara, ou combinada a um estêncil, que pode ser preparado fotograficamente), para ser atravessada pela tinta somente nos lugares que devem ficar impressos.

Retrancagem

Retrancagem significa identificar textos, fotos, títulos, subtítulos etc., dentro de um diagrama em seu determinado espaço. Essa identificação faz com o fluxo de trabalho siga seu trajeto com segurança, impedindo as tradicionais inversões de fotos e matérias, comuns quando o sistema de retrancagem não funciona. A retrancagem é muito enfatizada nos jornais diários, onde a velocidade favorece os erros e uma troca de fotos ou matérias em determinadas páginas podem trazer consequências desastrosas para a empresa.

Sem Serifas

A classificação dos tipos em serifados e não-serifados é considerado o principal sistema de diferenciação de letras. O sem serifas é um tipo de letra que não tem as pequenas projeções chamadas 'serifas' ao fim do traço. São consideradas melhores para se ler em telas. As famílias tipográficas sem serifas são conhecidas como sans-serif (do francês), também chamadas grotescas

Pré-Impressão

A pré-Impressão é o conjunto de procedimentos e cuidados a serem adotados depois de finalizada a arte a ser impressa e antes do processo de impressão propriamente dito, ou seja, a reprodução do grafismo em seu suporte final. Os processos de pré-impressão consistem na preparação de um arquivo finalizado para a obtenção de uma matriz de impressão.

Famílias Tipográficas

Uma família tipográfica é um conjunto de fontes tipográficas com as mesmas características estilísticas fundamentais, porém apresentadas com variações de espessura, largura, altura e outros detalhes. Algumas destas variações são mais frequentes nas famílias tipográficas e recebem nomes que se tornaram conhecidos pelo público em geral, tais como bold (negrito), light (claro), regular, itálico, versalete, dentre outros.

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro