D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

Joelho

Na diagramação, o joelho  (dog leg, pata de cachorro, em inglês) é formado por colunas de matérias que terminam em alturas diferentes. Para se evitar joelhos, as matérias têm que caber em um retângulo, não em um polígono. Mesmo assim, até grandes jornais como New York Times ou Folha de São Paulo cometem joelhos.

Siglas

Letra inicial ou conjunto de letras iniciais de um nome próprio empregado como monograma. Juarez Bahia define como uma redução ou abreviatura composta pelas iniciais, em geral, de intitulativos oficiais ou oficiosos, de emprego frequente, quase sempre extensos. (...) Tem pelo menos duas funções: criar uma identidade ou sinal amplamente verificável e fiel ao nome; e funcionar como palavra sucessora de palavras, títulos ou extensões.

Spot

"1. Comunicação breve, em televisão ou rádio. Dura geralmente de 15 a 30 segundos, e pode conter mensagem comercial ou não. Em TV, consagrou-se pelo uso o termo comercial para todos os anúncios publicitários. Em rádio, ainda é mais usado spot. 2. Texto publicitário para transmissão radiofônica, geralmente gravado em disco ou em fita. Pode ter fundo musical ou efeitos sonoros, mas a força da mensagem está na palavra falada. Distingue-se do jingle, que é comercial cantado". Rabaça e Barbosa

Pescoço

Caderno do meio de uma edição dominical impressa. Por conveniência da redação é fechado na sexta-feira. Denomina-se pescoção, na gíria dos redatores, o caderno com grande número de páginas ou do conjunto de pescoços.

Estratégias de Diferenciação

A diferenciação é estudada tanto em teorias da administração estratégica quanto nas teorias de marketing, contudo esse limite entre as disciplinas, no entanto, nem sempre é perfeitamente claro. Na primeira, está relacionada à conquista de posições competitivas favoráveis no setor, enquanto na perspectiva do marketing a diferenciação relaciona-se a produto e/ou imagem. Sob o ponto de vista da estratégia, a diferenciação estaria relacionada a conquistar posições favoráveis de mercado e/ou proteger os negócios da competição por preço, normalmente através de uma utilização pesada de propaganda e promoção. Já para o marketing, a diferenciação tenderia a ser classificada como “estratégia promocional”. 

Papel Social do Jornalismo

O jornalismo tem o compromisso social como princípio ético e deontológico. Os jornalistas possuem imenso poder de persuasão e precisam utilizá-lo de maneira beneficiar a sociedadeDo ponto de vista ético, o jornalista tem responsabilidades perante a sociedade. Entre elas: auxiliá-la em suas decisões, enriquecê-la culturalmente, colaborar com o fortalecimento da cidadania, divulgar o que possa contribuir, denunciar o que possa vir a ser prejudicial e se responsabilizar por tudo o que divulga. A função social implica em fornecer informações de modo exato e completo, para todos os grupos sociais e para que todos possam compreender os acontecimentos e ter conhecimento para tomar decisões de forma livre e judiciosa.  

Jornalismo como Serviço Público

Para Felipe Pena, o Jornalismo é um serviço público, dotado de uma função social, que é atender as demandas da cidadania, promover a mobilização social, melhorar o debate público, rever a agenda pública e fazer com que o cidadão tenha clara compreensão do contexto dos acontecimentos para a construção do bem comum. "O perfil do jornalismo contemporâneo foi configurado há muito e encerra a ideia de que tem um papel social a cumprir - tal ideia estaria ancorada no nível de esclarecimento das audiências, que, cada vez mais, querem ter acesso aos fatos. Isso, porque hã uma consciência subjacente de que para participar da história, decidir sobre o próprio rumo ou alterar o curso, é preciso estar informado". Medina

Modernidade Líquida

Ao explicar o significado de Modernidade Líquida, Zygmunt Bauman, faz a seguinte analogia: "Líquidos mudam de forma muito rapidamente, sob a menor pressão. Na verdade, são incapazes de manter a mesma forma por muito tempo. No atual estágio “líquido” da modernidade, os líquidos são deliberadamente impedidos de se solidificarem. A temperatura elevada — ou seja, o impulso de transgredir, de substituir, de acelerar a circulação de mercadorias rentáveis — não dá ao fluxo uma oportunidade de abrandar, nem o tempo necessário para condensar e solidificar-se em formas estáveis, com uma maior expectativa de vida". 

Direito à Informação

O acesso à informação é um direito fundamental previsto no ordenamento jurídico brasileiro no art. 5º inciso XXXIII, bem como no inciso II do § 3 do art. 37 da Constituição Federal de 1988. Segundo o artigo 5º, incisos XIV, XXXIII e XXXIV “b” da Constituição Brasileira: "é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional; todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular, ou de interesse coletivo ou geral, que serão prestadas no prazo da lei, sob pena de responsabilidade, ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado; são a todos assegurados, independentemente do pagamento de taxas: a obtenção de certidões em repartições públicas, para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal".

Tempo Pontilhista

O tempo na sociedade moderna não é cíclico nem linear como costumava ser para os membros de outras sociedades. Em vez disso ele é “pontilhista”, um tempo pontuado, marcado pela profusão de rupturas e descontinuidades. A vida, seja individual ou social, não passa de uma sucessão de presentes, uma coleção de momentos experimentados em intensidades variadas. O tempo pontilhista, metáfora criada por Michael Maffesoli, se esgota em si próprio, como um boom, uma explosão de possibilidades e de momentos a serem vividos da forma mais intensa possível.

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro