D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

para a tag "Teorias da Comunicação"

Atopia e Acronia

"A relação corpo a corpo nos possibilita ser espacial e temporal. O mundo virtual não tem a referência do espaço e do tempo como o centro da nossa experiência. Não é mais essa experiência é outra experiência. O que se passa quando a espacialidade e a temporalidade do nosso corpo e da nossa experiência se perdem na atopia, ou seja, na ausência de lugar e ausência de espaço e na acronia, na ausência do tempo. São duas ausências, a atopia e a acronia, que caracterizam o mundo virtual.

Mídias Emergentes

Segundo Wilson Dizard Jr., em A Nova Mídia, novas tecnologias potencializam a libertação dos indivíduos da mídia centralizada. Para ele, há três padrões de mídias emergentes: a de massa tradicional, a eletrônica de última geração e as formas modernas de mídia eletrônica pessoal.

  • mídia de massa tradicional pode ser caracterizada por TV, cinema, rádio e impressos. 
  • mídia de massa eletrônica envolve bancos de dados de consumo e computadores. 
  • mídia eletrônica pessoal envolve grupos que evitam provedores comerciais de informação e entretenimento. 

Coesão Social

O conceito sociológico de coesão social está relacionado a um estado pelo qual os indivíduos mantém-se unidos, integrados em um grupo social, ou, o estado de integração coesa do grupo social. Há coesão social quando temos um grupo composto por indivíduos que compartilham objetivos, ações, ideias e crenças. É esse compartilhamento que possibilita a existência do grupo. O inverso de coesão social seria a desintegração social, o que causaria a consequente extinção do grupo social.

Videopolítica

Segundo a escritora argentina Beatriz Sarlo, a videopolítica é a forma atual da política nas sociedades ocidentais, embora existam outros modos de atuação. Nela, a relação entre políticos e cidadãos passa pelos meios de comunicação. A política no espaço televisivo impõe novas regras sobre o discurso: mudanças no estilo de argumentação, no tipo de implicação entre os argumentos, nos níveis de linguagem que se apresentam como apropriados a convencer o eleitor, no sistema de imagens, no tipo de interpelação entre outros. 

Atitude Blasé

Blasé é um adjetivo do idioma francês, que classifica a atitude de uma pessoa cética, apática ou indiferente. O termo "atitude blasé" foi conceituado pelo sociólogo alemão George Simmel e apresentada pela primeira no livro "The Metropolis and Mental Life". A essência do comportamento blasé é a indiferença demonstrada no caso da distinção entre as coisas. Simmel descreve o indivíduo blasé como sendo "incapaz de reagir a novos estímulos com as energias adequadas".

Silogismo

Um silogismo é um termo filosófico com o qual Aristóteles designou a argumentação lógica perfeita, constituída de três proposições declarativas que se conectam de tal modo que a partir das duas primeiras, chamadas premissas, é possível deduzir uma conclusão. Um exemplo clássico de silogismo é:

Todo homem é mortal.
Sócrates é homem.
Logo, Sócrates é mortal.

"The Self"

George Herbert Mead, filósofo pertencente à Escola de Chicago que fez parte das correntes teóricas denominadas de pragmatismo e interacionismo simbólico, tentava compreender como ocorre a construção da identidade social. Para ele só poderá existir o senso do Eu (self) se existir um senso correspondente a um Nós. Ou seja, são as relações sociais e o papel que desempenhamos na sociedade que constituiriam a pessoa. A individualização seria o resultado da socialização não sua antítese. O self não é natural aos homens (não existe desde o nascimento), mas se desenvolve no processo social por meio da atividade com os outros indivíduos. Mead tenta compreender como ocorre a construção da identidade social. Para ele só poderá existir o senso do Eu (self) se existir um senso correspondente a um Nós. Ou seja, são as relações sociais e o papel que desempenhamos na sociedade que constituiriam a pessoa.

Elementos da Comunicação

A comunicação representa a transmissão de mensagens entre um emissor e um recepto e é associada à linguagem e interação.  É um elemento essencial da interação social humana. A comunicação somente será efetivada se o receptor decodificar a mensagem transmitida pelo emissor. Os elementos que compõem a comunicação são Canal de comunicação, Emissor, Receptor, Mensagem, Contexto, Código e Ruído.

Teoria do Agendamento

Os consumidores de notícias tendem a considerar mais importantes os assuntos que são veiculados na imprensa, sugerindo que os meios de comunicação agendam nossas conversas. A mídia nos diz sobre o que falar e pauta nossos relacionamentos. É uma reação a teoria dos efeitos limitados. Como as pessoas apreendem as informações e formam se conhecimento sobre o mundo.

Teoria dos Seis Graus de Separação

A Teoria dos Seis Graus de Separação (teoria do "mundo pequeno") afirma que, no mundo, são necessários no máximo seis laços de amizade para que duas pessoas quaisquer estejam ligadas. No estudo, feito nos Estados Unidos, buscou-se, através do envio de cartas, identificar o números de laços de conhecimento pessoal existente entre duas pessoas quaisquer. Cada pessoa recebia uma carta identificando a pessoa alvo e deveria enviar uma nova carta para a pessoa identificada, caso a conhecesse, ou para uma pessoa qualquer de suas relações que tivesse maior chance de conhecer a pessoa alvo. A pessoa alvo, ao receber a carta, deveria enviar uma carta para os responsáveis pelo estudo. A popularidade da crença no fato de que o número máximo de passos entre duas pessoas é 6 (seis) gerou, em 1990, uma peça de nome Six Degrees of Separation, de John Guare.