D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

Não linearidade

Em hipermídia, a não-linearidade é pressuposto fundamental do hipertexto. Ela ocorre quando há multiplas ligações entre blocos informativos e há liberdade total de navegação. A hipermídia é a fusão várias mídias a partir desses elementos não-lineares. A forma mais comum de Hipermídia é o Hipertexto, no qual a informação é apresentada sob a forma de texto interativo. O usuário é capaz de ler de forma não linear, ou seja, ele escolhe entre o início, o meio ou o fim do conteúdo. Não linear refere-se a todas as estruturas que não apresentam um único sentido. Estrutura que apresenta múltiplos caminhos e destinos, desencadeando em múltiplos finais. Em Teoria Geral dos Sistemas diz-se que a não-linearidade é pressuposto de Sistemas Complexos e sua intricada rede leva a caminhos distintos e inimagináveis até mesmo para os criadores do sistema. Isto ocorre devidas interações entre dados e conexões que se tornam cada vez mais complexas, e estas geram realimentações que por sua vez realimentam o sistema tornando-o autorregulador. 

Retórica

Retórica é a arte de usar uma linguagem para comunicar de forma eficaz e persuasiva. "A Retórica como uma arte que se dedica a dirimir discursivamente uma questão tida por premente, a qual requer uma decisão através do emprego deliberado de estratégias persuasivas dirigidas a um conjunto particular de pessoas, visando transformar uma dada situação – existente e problemática – por intermédio da adoção de novas formas de pensamento e ação". Mateus

Ciências da Informação

A Ciência da informação é um campo interdisciplinar principalmente preocupado com a análise, coleta, classificação, manipulação, armazenamento, recuperação e disseminação da informação. Estuda a informação desde a sua gênese até o processo de transformação de dados em conhecimento. 

Regulamentação da mídia nos Estados Unidos

A regulação dos meios de comunicação realizada dentro de parâmetros liberais, em países como os EUA, tem como objetivo garantir a pluralidade política da informação e a concorrência econômica saudável entre as empresas do setor. Ao contrário do que ocorre em diversos países europeus, a regulamentação nos EUA não é centralizada em uma única Lei de Imprensa, mas pautada por uma série de regras contidas em diferentes legislações adotadas ao longo de sua história. A regulamentação da mídia é caracterizada por uma visão liberalizante, seguindo o princípio de que o mercado e a opinião pública devem ser os principais reguladores do conteúdo. O setor de comunicação audiovisual é legalmente obrigado a manter uma quantia mínima de conteúdo educativo e os órgãos governamentais podem agir de forma mais rigorosa sempre que existir uma percepção generalizada de abuso por parte da mídia. O país também adota, desde a década de 1930, medidas jurídicas que visam impedir a propriedade cruzada dos meios de comunicação. 

Caso Escola Base

O Caso Escola Base (1994) é objeto de documentários e diversas teses, artigos e seminários tratando sobre a falta de ética jornalística, principalmente em relação as falhas na apuração, no apelo sensacionalista e como exemplo de calúnia, difamação, injúria e danos morais.

Sistema Comunicacional

Um sistema comunicacional em pleno funcionamento é fundamental para as funções administrativas internas e o relacionamento externo.

Os principais problemas encontrados nas empresas têm como principal causa um sistema de comunicação não bem definido. O sistema de comunicação de uma determinada organização se implementado levando em consideração os componentes que envolvem os quatros níveis da comunicação apresentados, terá maiores chances de obter os resultados esperados, pois evitará possíveis desvios, que dificultem o alcance dos objetivos estabelecidos. Kunsch  explica que "ao dispor de um sistema de comunicação, não deve, em nenhum momento, deixar de considerar esses níveis, tanto no seu contexto formal como no informal".

Lifetime Value - LVT

Lifetime Value (LTV) ou "Valor do tempo de vida do cliente" é uma métrica do marketing e vendas que estima a potencial receita e lucro futuros gerados por um cliente. É um valor que se estende por toda a vida, e é um parâmetro para identificar a realidade que está sendo construída entre as instituições e seus clientes. O cálculo do LTV leva em consideração o valor e recorrência de compras, incluindo aí produtos e serviços derivados. O uso do LVT do cliente como uma métrica de marketing proporciona maior ênfase no serviço ao cliente e na sua satisfação no longo prazo (incluindo fidelidade de marca, recompra, up-selling e cross-selling ), sendo esse processo oferece melhores retornos do que investir apenas no curto prazo.

Eventos Cívicos

 Um evento cívico trata do interesse público, dos valores de uma sociedade, das suas instituições e das responsabilidades e dos deveres do cidadão. São a ocasiões para se conhecer, recordar e reafirmar os valores essenciais da nação, os momentos fundamentais da História brasileira, além de relembrar os personagens importantes da trajetória do país. Podem tratar de determinados temas sociais, nacionais ou internacionais, como assuntos relevantes para o país.

Líder

O líder é um influenciador e motivador. Para Franco, há três tipos de líderes são requisitados pelas empresas do século XXI:

  • Líder Transformacional: ele consegue extrair das pessoas mais motivação e desempenho do que se espera delas. Transforma as pessoas em ativos valiosos para as organizações;
  • Líder Carismático: Possui o poder de persuadir e transformar a vida das pessoas e o ambiente de trabalho em um lugar mais interessante e cheio de entusiasmo;
  • Líder Formador: sua satisfação está exatamente em cultivar pessoas para o sucesso e tem como fonte de inspiração sua própria capacidade de desenvolver pessoas e transforma-las em futuros líderes ou pelo menos proporcionar-lhes o caminho para tal.

Carta Aberta

A carta aberta é um texto predominantemente argumentativo (mas pode ser instrucional, expositivo, argumentativo ou descritivo e persuasivo). É um modelo de carta (texto epistolar). Sua principal característica é  informar, instruir, alertar, protestar, reivindicar ou argumentar sobre determinado assunto. Permite que o emissor exponha em público suas opiniões ou reivindicações acerca de um determinado assunto. A carta aberta faz referência a assuntos de interesse é coletivo, normalmente se referindo a um problema de consenso geral. É um veículo de comunicação coletiva. Por isso, representa uma importante ferramenta de participação política dos cidadãos, uma vez que apresenta assuntos de interesse coletivo.

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro