D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

Cena

"Unidade narrativa cinematográfica mais próxima do teatro. Abrange uma série de planos ligados à mesma ação ou situados num mesmo ambiente. Um conjunto de cenas forma uma sequência." Barbosa e Rabaça

Virtual

Para Levy, a oposição entre real e virtual é enganosa. Na verdade o virtual se opõe ao atual, uma vez que em que tende a atualizar-se, sem chegar a uma concretização efetiva. O virtual se distingue, ainda, do possível, na medida em que este último já estaria constituído, estando somente em estado latente, pronto a se transformar no real. O virtual ganha, assim, a condição de algo que fornece as tensões para o processo criativo que envolve a atualização. Não seria algo previsível e estático, como a passagem do possível para o real. 

Plot Point

Na televisão e no cinema, o plot point é um evento significativo dentro de um enredo que gira a ação em outra direção. Segundo Syd Field um filme bem estruturado deve ter dois pontos de plotagem dentro de uma estrutura de três atos. O primeiro ponto de plotagem ocorre de 20 a 30 minutos no filme (assumindo um tempo de execução padrão de 120 minutos), e o segundo ocorre de 80 a 90 minutos no filme. O primeiro ponto da trama termina o Ato I e impulsiona a história para o Ato II; Da mesma forma, o segundo ponto da trama termina o Ato II e impulsiona a história para o Ato III.

Escaleta

A Escaleta (Step Outline) é um relato detalhado de uma história que se pretende transformar em um roteiro para um filme. É uma lista das cenas que compõem a história. Cada elemento da lista consiste em uma ou várias frases que descrevem de maneira muito específica o conteúdo específico de cada cena. Detalha brevemente cada cena da história do roteiro, e freqüentemente tem indicações para interações de diálogo dos personagens. As cenas são muitas vezes numeradas por conveniência. A Escaleta de um filme tem entre 50 e 100 elementos.

Sequência

"Conjunto de cenas que se referem à mesma ação. Divisão narrativa de um filme. As cenas que se reúnem em sequência não estão situadas forçosamente dentro do mesmo espaço e tempo, mas são definidas por uma unidade de ação, tema ou movimento". Rabaça e Barbosa

Folder

Palavra em inglês que significa folheto, brochura, flyer ou pasta. É um documento escrito que tem uma dobra (fold em inglês) e tem o objetivo de apresentar informações. Também designa uma pasta onde é possível guardar documentos (sentido que é também utilizado na informática).

Pop-up

"Menu contextual de opções, em uma interface gráfica de computador, que surge na tela em resposta a um gesto intencional do usuário, utilizando o mouse, o teclado, a tela sensível ao toque ou algum outro método apontador de acontecimento." Neiva

Imagens do Dia

Foi o primeiro telejornal a ser exibido no Brasil. Estreou em 19 de setembro de 1950 na Rede Tupi, indo ao ar entre as 21h30 e 22h00. Foi recebido por cerca de 100 aparelhos de TV importados. O Imagens do Dia utilizava os filmes para ilustrar a narração feita pelo locutor, ao vivo, no momento da transmissão do programa e que as notícias versavam sobre assuntos de interesse geral como eventos de cultura, cotidiano e política. Na sua primeira transmissão, noticiou o desfile cívico-militar pelas ruas de São Paulo. O programa tinha notícias locais lidas pelo locutor Ruy Rezende, que era também produtor e redator do jornal. As imagens eram produzidas em filme preto e branco pelos cinegrafistas Jorge Kurkjian, Paulo Salomão e Alfonso Zibas. 

Estado-Igreja

O modelo “igreja-estado”, surgiu nos Estados Unidos, quando o dono e fundador da revista Time decidiu separar a redação de todo o resto. O jornalismo (“igreja”), separou-se do negócio (“estado”). Segundo o artigo de Bucci, “Henry Luce (1898-1967), co-fundador da revista Time” conseguiu transformar um padrão organizacional “separar o lado comercial (apelidado de "Estado") e o lado editorial (a "Igreja") na administração de Time Inc.” Foi a partir do final do século XIX, que diversos jornais dos EUA começaram a dividir seus funcionários em duas equipes: uma dos jornalistas, responsáveis pela área editorial (a "Igreja"); e outra responsável pela área comercial (o "Estado"). O objetivo era assegurar um ambiente em que interesses de anunciantes ou financeiros não distorcessem as pautas e o enfoque das reportagens. 

Retícula

Segundo Rabaça e Barbosa " rede de pontos geralmente diminutos, ou de traços formando quadrículos, linhas ou quaisquer padrões, regulares, traçada sobre vidro ou película transparente, que se usa em ofsete, autotipia e heliogravura, para reprodução de originais a meio-tom. Colocada entre o original e uma placa sensível, a retícula decompõe a imagem (foto ou desenho) em numerosos pontos de tamanhos variados que, embora impressos com a mesma intensidade de tinta, produzem, por ilusão de ótica, o efeito das tonalidades intermediárias (do claro ao escuro, através de uma escala de grisês).

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro