D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

Pós-Produção

Em televisão, é o processo no qual se faz a edição e a sonorização dos produtor previamente gravados (inclusive os efeitos especiais), para serem exibidos.

Canal Cidadania

Canal da Cidadania é um canal de televisão digital aberta presente em todos os municípios do Brasil. Utilizando o recurso da “multiprogramação”, possibilitada pela digitalização da TV aberta, serão transmitidos quatro “faixas de conteúdo”: a primeira sob responsabilidade das prefeituras, a segunda a ser gerida pelos estados e as outras duas, por associações comunitárias, responsáveis por programação local.

People meter

Dispositivo que permite medir passivamente a audiência dos canais de TV ou rádio. Um codificador de áudio ou vídeo é instalado na emissora ou na rede cabo, e emite um sinal especial dentro do sinal de vídeo e áudio da emissora. Na casa do espectador outro dispositivo é instalado que envia de uma série de informações, tais como: Frequência do canal, hora em que foi sintonizado/dessintonizado, hora em que a TV foi desligada, entre outros. 

Editor-Chefe

Jornalista responsável pelo conteúdo de cada edição do telejornal. Ele determina o os temas que serão abordados, de acordo com a linha editorial. Escolhe as matérias em vão entrar e suas posições no “espelho” (roteiro do telejornal). coordenando todas as etapas da produção e edição e segue as orientações jornalísticas do editor ou dono da editora. Subordinado ao chefe de redação; Responde pelo jornal, deixa impresso a sua personalidade na produção do telejornal.


Produtor de TV

O Produtor de Televisão tem como sua função principal controlar todos os aspectos da produção de um programa de televisão, desde o desenvolvimento de sua ideia original e da contratação do elenco até a supervisão das filmagens e a checagem dos fatos. Ele organiza todo trabalho prévio para a realização do telejornal. É responsável direto pela qualidade do programa e pela sua duração no ar, com maior ou menor intensidade. Auxiliam na produção das pautas e/ou reportagens na rua, como marcação e captação de entrevistas, levantamento de fontes e informações. Subordinado ao chefe de reportagem.

Reportagem Radiofônica: Simultânea e Diferida

Em uma programação de radiojornalismo os diversos graus de vivo se entremeiam e se alternam. Pode-se ter uma reportagem diferida (vivo em segundo grau) sendo chamada por um locutor de estúdio sem texto previamente escrito (vivo em terceiro grau), ou um locutor lendo um texto previamente escrito (vivo em segundo grau) chamando uma reportagem simultânea (vivo em quarto grau).

Sensorialidade

A sensorialidade pode ser entendida como um diálogo mental entre o emissor e o receptor. É através da sensorialidade do rádio que se conquista e envolve o ouvinte. Nela, o ouvinte participa mentalmente da ação descrita na mensagem.

Aquário

Jargão para designar estúdio envidraçado com isolamento acústico para realizar locução de rádio ou TV. Nele, a pessoa que está realizando a locução pode ser vista pelo lado de fora, se assemelhando a um aquário.

Características do Rádio

"O rádio, pelas suas características: adentramento, intimidade (fala ao indivíduo), regionalismo, imediatismo, mobilidade, acessibilidade, custo barato, função social e comunitária, continua sendo um poderoso meio de comunicação de massa". (BARBOSA FILHO)  

Possui ainda como características básicas: o uso apenas da linguagem oral, a penetração, sua mobilidade – tanto de emissor quanto de receptor, o baixo custo de produção, seu imediatismo, instantaneidade e autonomia, mas, principalmente, sua sensorialidade. 

Tipos clássicos de recepção das mensagens pelo rádio

Para BARONI e BALDO, no artigo O Rádio: Veículo de comunicação de massa e para a massa, do ponto de vista da recepção, o rádio tem como tipos clássicos de recepção: 

  • Ambiental – serve de pano de fundo 
  • Companhia – a audição acontece com atividade paralela 
  • Atenção concentrada – o ouvinte concentra sua atenção à mensagem 
  • Seleção intencional – o ouvinte se prepara e escolhe um programa

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro