D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

Interdiscurso x Intradiscurso

O Interdiscurso é a constituição de um discurso em relação a outro já existente. É um conjunto de ideias, organizadas por meio do texto, que se apropria, implícita ou explicitamente, de outras configuradas anteriormente. Para o teórico da literatura Gérard Genette, esse conceito dialoga diretamente com a sua ideia de “arquitextualidade”, já que ambos explicitam a noção de que um discurso é tudo aquilo que põe um texto em relação com outros. A hipertextualidade dá sentido ao conceito de Interdiscurso. Ela explica que todo discurso é construído por cima de outro anterior. 

Palanque eletrônico

Forma alternativa de divulgação de propaganda político-partidária, realizada por meio de telões ou outros recursos audiovisuais assemelhados, de modo a prescindir da presença do candidato no palanque político. A comunicação de massa consagrou a estratégia de realização de discurso político em palanques de praças públicas, onde oradores se dirigiam à platéia presente, para expor e debater suas idéias. No entanto, a partir das últimas décadas do século XX, utilizando-se a televisão e outros modernos meios de comunicação, foi criado o palanque eletrônico, onde se realiza um discurso político que difere do apresentado em praças e ruas

Linguagem Jornalística

O gênero jornalístico visa a integração entre o leitor e o jornal. Essa modalidade requer um tipo específico de linguagem, chamada de linguagem jornalística. Ela parte do pressuposto de que todos devem compreender o conteúdo a ser transmitido. Por isso, a linguagem jornalística deve seguir alguns preceitos.

Patrocínio

Patrocínio (do termo latino patrociniu) ocorre quando uma empresa ajuda a financiar um evento ou uma entidade não lucrativa e oferece apoio, em troca de propaganda ou outro benefício. O patrocínio pode ocorrer em eventos, apresentações, publicações. Ambas as partes envolvidas saem beneficiadas com o patrocínioː a empresa que promove o evento recebe valores monetários para poder atuar, e a empresa que patrocina recebe publicidade e notoriedade. Os patrocínios podem ser definidos como uma assinatura (underwriting) de um evento ou produto que visa dar suporte aos objetivos corporativos por meio do realce da imagem corporativa.

Marca Oficial do Governo

Todas as ações de comunicação do Poder Executivo Federal devem ser veiculadas ou distribuídas com a utilização da marca do Governo Federal.

Patrocínio Esportivo

O patrocínio esportivo é um investimento que uma entidade pública ou privada faz em um evento, atleta ou equipe com a finalidade de precípua de atingir público e mercado específico, recebendo, em contrapartida, uma série de vantagens em encremento de vendas, melhora de imagem e simpatia do público. Os investimentos nesse tipo de patrocínio crescem a cada ano devido ao ótimo retorno que propiciam.

Prêmio Pulitzer

Nascido na Hungria, Joseph Pulitzer (1847-1911) iniciou a sua vida profissional como repórter em 1866, no jornal alemão Westliche Post. Em 1883, após a mudança para Nova Iorque, Pulitzer, em poucos anos, passou de repórter iniciante a proprietário do jornal de maior circulação nos Estados Unidos o The World, que se tornou um dos jornais mais importantes da época. Pulitzer revolucionou o jornalismo norte americano com as suas técnicas, com a prática de um jornalismo rigoroso, divulgando e combatendo a corrupção política e defendendo causas justas. Na perspectiva de Pulitzer o jornalismo consiste numa atividade que visa essencialmente preservar a República. Joseph Pulitzer faleceu em outubro de 1911, aos 64 anos. Deixando o famoso Prêmio Pulitzer, criado para preservar esse espírito e elevar a profissão de jornalista. 

Linha Editorial

É uma política da direção do veículo de comunicação ou pela diretoria da empresa que determina a lógica pela qual a empresa jornalística enxerga o mundo. Ela indica valores, paradigmas e influencia decisivamente na construção de sua mensagem. A linha editorial orienta o modo como cada texto será redigido, define quais termos podem ou não, quais devem ser usados, e qual a hierarquia que cada tema terá na edição final (seja em páginas do meio impresso ou na ordem de apresentação do telejornal ou radiojornal e na internet). Dessa maneira, a linha editorial é considerada um valor-notícia. No entanto, "a linha editorial não é um valor-notícia dos fatos a serem abordados (ou seja, um valor-notícia de seleção), mas sim um valor-notícia da forma de realizar a pauta (ou seja, um valor-notícia de construção)"

Rádio-Peão

Rádio-peão conhecida também como rádio-corredor é um nome informal dado a uma rede de rumores dentro das organizações. Ele é o responsável pelas propagações de fofocas, boatos ou notícias falsas.

Projeto Facebook para Jornalismo

O Projeto Facebook para Jornalismo foi lançado em 2017 com o objetivo de criar laços mais fortes entre a rede social e a indústria de notícias.  É uma plataforma de curadoria que busca e organiza as notícias. A ferramenta foi projetada para ajudar jornalistas da grande mídia e profissionais afins na finalização da coleta, ordenamento e edição das notícias. A plataforma foi planejada para uso exclusivo de páginas verificadas e profissionais reconhecidos da imprensa. A ferramenta do Facebook foi desenhada para ser o suporte da atividade de finalização da coleta de dados dentro da rede. Ela serve muito bem para acabamento e finalização de reportagens. Ou pós-edição.

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro