D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

para a tag "Teorias da Comunicação"

Líder de Opinião

Líder de Opinião é aquele que por suas quantidades de iniciativa e conformidade social filtra os anseios e necessidades do grupo. Os líderes de opinião servem de agentes principais da mudança de opinião. Segundo as Teorias das Influências Seletivas, Abordagem Empírica de Campo (Efeitos Limitados) de Paul Lazarfeld, os Líderes de Opinião são pessoas capazes de influenciar outras pessoas na hora da tomada de uma decisão. São membros da comunidade que influenciam pessoas em concorrência com os meios de massa. O Two Step Flow Communication destaca a importância dos formadores de opinião comunitários como construtores de opinião pública em pequena escala. É determinado justamente pela mediação que os líderes de opinião desenvolvem entre a mídia e os outros indivíduos do grupo.

Eficácia de Agenda

Segundo Mauro Wolf, a eficácia de agenda está relacionada a eficácia da transmissão de uma informação. Há uma "maior eficácia da informação escrita em relação à televisiva, para confirmar necessidade de colocar questão de acordo com análise das modalidades específicas que cada mass media possui para provocar efeitos de agenda, McCombs defende uma eficácia temporalmente graduada e diferenciada dos vários mass media. Os jornais são os principais promotores da agenda do público. Definem amplamente âmbito do interesse público, mas os noticiários televisivos não são totalmente desprovidos de influência. 

Interdiscurso x Intradiscurso

O Interdiscurso é a constituição de um discurso em relação a outro já existente. É um conjunto de ideias, organizadas por meio do texto, que se apropria, implícita ou explicitamente, de outras configuradas anteriormente. Para o teórico da literatura Gérard Genette, esse conceito dialoga diretamente com a sua ideia de “arquitextualidade”, já que ambos explicitam a noção de que um discurso é tudo aquilo que põe um texto em relação com outros. A hipertextualidade dá sentido ao conceito de Interdiscurso. Ela explica que todo discurso é construído por cima de outro anterior. 

Retórica

Retórica é a arte de usar uma linguagem para comunicar de forma eficaz e persuasiva. "A Retórica como uma arte que se dedica a dirimir discursivamente uma questão tida por premente, a qual requer uma decisão através do emprego deliberado de estratégias persuasivas dirigidas a um conjunto particular de pessoas, visando transformar uma dada situação – existente e problemática – por intermédio da adoção de novas formas de pensamento e ação". Mateus

Ciências da Informação

A Ciência da informação é um campo interdisciplinar principalmente preocupado com a análise, coleta, classificação, manipulação, armazenamento, recuperação e disseminação da informação. Estuda a informação desde a sua gênese até o processo de transformação de dados em conhecimento. 

Multimodalidade

O conceito de multimodalidade vem da Teoria da Semiótica (Semiótica Social). A Semiótica estuda não só que é dito pelo texto, mas também pelas estratégias textual-discursivas traçadas pelo autor do texto, a fim de exteriorizar o seu dizer. É um campo de estudo que se dedica sobre construções linguísticas do texto, para materializar seu dizer.  A Semiótica concede prima pelo estudo do texto, mais especificamente, focando em explicar “o que o texto diz e como ele faz para dizer o que diz”. Barros Os textos multimodais constituem a nova tendência na comunicação. Devido a disseminação acelerada das novas tecnologias, o texto vem adquirindo novas configurações, que transcendem a modalidade escrita da linguagem (as palavras, as frases), sendo constituídas por elementos das múltiplas formas da linguagem (escrita, oral e visual).  

Sinestesia

1. Relação que se verifica espontaneamente (e que varia de acordo com os indivíduos) entre sensações de caráter diverso mas intimamente ligadas na aparência (p.ex., determinado ruído ou som pode evocar uma imagem particular, um cheiro pode evocar uma certa cor etc.). 2. Cruzamento de sensações; associação de palavras ou expressões em que ocorre combinação de sensações diferentes numa só impressão.

Paradigma da Interatividade

Ociber-espaços levam a interatividade a outro patamar. Ele concebe 3 níveis de interação.
  • Um-Um - primeiro nível, no qual apenas um transmissor "conversa" com o receptor.
  • Um-Todos - segundo nível, no qual o emissor fala com diversos públicos. São os meios de comunicação de massa como rádio, televisão e imprensa tradicional.
  • Todos-Todos - terceiro nível, no qual nos encontramos hoje. Nele é possível que os sujeitos troquem, negociem e intercambiem diferentes informações ao mesmo tempo.

Dicotomias Saussurianas

Ferdinand de Saussure foi um linguista suíço. Suas elaborações teóricas propiciaram o desenvolvimento da linguística como ciência autônoma. Saussure entendia a linguística como um ramo da ciência mais geral dos signos, que ele propôs fosse chamada de Semiologia. Seus conceitos serviram de base para o desenvolvimento do estruturalismo no século XX. As dicotomias saussurianas: Língua X Fala - Sincronia x diacronia; Sintagma vs. paradigma; Significante x significado


Processos Comunicacionais

Segundo Manuel Castells, a cultura contemporânea é formada por processos comunicacionais. Isso porque as transformações sociais em curso nos âmbitos global e local são estruturadas sobre a evolução das tecnologias de informação e comunicação e estabelecimento de processos comunicacionais mediados por computadores interconectados por meio de tecnologias de telecomunicações. Esses avanços ocorreram a partir das últimas décadas do século XX e conduziram a sociedade a uma evolução tecnológica e a ascensão da economia da informação e do conhecimento que Castells chamou de “sociedade em rede”. 

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro