Virtual

"Contrariamente ao possível, estático e já constituído, o virtual é como o complexo problemático, o nó de tendências ou de forças que acompanha uma situação, um acontecimento, um objeto ou uma entidade qualquer, e que chama um processo de resolução: a atualização". Lévy

Para Levy, a oposição entre real e virtual é enganosa. Na verdade o virtual se opõe ao atual, uma vez que em que tende a atualizar-se, sem chegar a uma concretização efetiva. O virtual se distingue, ainda, do possível, na medida em que este último já estaria constituído, estando somente em estado latente, pronto a se transformar no real. O virtual ganha, assim, a condição de algo que fornece as tensões para o processo criativo que envolve a atualização. Não seria algo previsível e estático, como a passagem do possível para o real. 

"1.Existente apenas em potência ou como faculdade, não como realidade ou com efeito real. 2. Que constitui uma simulação de algo criada por meios eletrônicos. O efeito de realidade virtual dá-se pela interação de dispositivos informáticos, modelos matemáticos, interfaces e um ou mais participantes humanos. O ambiente virtual é uma criação no espaço cibernético que, além de sua dimensão estritamente técnica, postula uma questão central para o entendimento do que seja a realidade objetiva. Do ponto de vista virtual, a realidade é uma construção de modelos matemáticos que, por meio de interfaces, transmitem sinais para o usuário do sistema. Não há, nessa experiência, nenhuma separação entre mundo objetivo e universo representado. Objeto e representação coincidem na medida direta de sua semelhança. A iconicidade é, portanto, um traço fundamental do que é visto, entendido e percebido como realidade." Neiva