Texto

O texto é uma manifestação linguística produzida por alguém, em alguma situação concreta (contexto), com alguma intenção. Independentemente de sua extensão, o texto deve dar a sensação de completude, caso contrário não é um texto. Por exemplo, alguém sai correndo de um edifício e grita: “Fogo!”. Nota-se que nesse caso a palavra “fogo” adquire um significado diferente de uma mera referência a um processo de combustão. A interpretação é de que há um incêndio naquele local. Logo, nessa situação específica, a palavra “fogo” é um texto.

Além da noção de completude, sete características são responsáveis pela textualidade (conjunto de fatores que fazem de um texto um texto e não um amontoado de frases):

  • os fatores pragmáticos – intencionalidade, aceitabilidade, situacionalidade, informatividade e intertextualidade – dizem respeito aos elementos contextuais que determinam os usos linguísticos nas situações de comunicação e contribuem para a construção do sentido do texto:
    • intencionalidade: é a manifestação da intenção, do objetivo do emissor numa determinada situação sociocomunicativa;
    • aceitabilidade: é a expectativa que o leitor manifesta de que o texto com que se defronta seja coerente, coeso, útil, relevante;
    • situacionalidade: pertinência e relevância do texto quanto ao contexto em que ocorre. Ela orienta tanto a produção quanto a recepção de textos;
    • informatividade: diz respeito à taxa de informação do texto. Ela depende da situação, do público, das intenções;
    • intertextualidade: refere-se ao diálogo entre textos. A produção e a compreensão de textos dependem do conhecimento de outros textos.