Técnica de Delphi

A técnica de Delphi parte do pressuposto de que informações levantadas por especialistas são mais acertadas em comparação às feitas por grupos que não são bem estruturados. Dessa forma, cria-se um círculo com várias pessoas anônimas, gerenciadas por um intermediador, que é o responsável por fazer a comunicação fluir. Inicialmente, o pesquisador apresenta um resumo referente os objetivos e metas desejadas. Então cada membro retorna com as questões que acha relevante, e assim se procede até que exista um consenso na equipe. Por fim, o resultado é um conjunto de informações que expressam o ponto de vista da maioria, ou até da minoria, caso essa minoria tenha plena convicção acerca do que foi levantado. Os resultados costumam ser isentos, uma vez que, devido ao anonimato e as respostas estatísticas, os especialistas dificilmente são ameaçados por pressões do grupo, no entanto a aplicação da técnica é demorada e cara. A técnica de Delphi possui 3 características: 

  • Anonimato: Evita a influência entre os participantes, proibindo a comunicação paralela durante a realização do chamado painel. 
  • Interação por meio de um feedback controlado: Reduz as chances de perder o foco nos pontos centrais do problema — por isso o intermediador informa apenas os dados necessários para a realização das análises. 
  • Respostas estatísticas: Ajuda a reduzir a pressão para que o grupo alcance a conformidade, ao mesmo tempo em que diminui uma dispersão considerável das respostas que cada participante revela.