Sociedade de Massa

O termo utilizado para descrever a nova ordem social, formada no início do século XX após a Primeira Guerra Mundial, que se caracteriza pela convivência de grandes grupos em um mesmo contexto social. Eh uma sociedade em que a grande maioria da população está envolvida na produção, na distribuição e no consumo de bens e serviços, além de seguirem um modelo de comportamento generalizado, participando do meio político e da vida cultural por meio do uso dos meios de comunicação de massa. Nela, a grande massa social tornou-se integrada à sociedade.

Para Jean Baudrillard, sociólogo e filósofo francês, o conformismo é um dos pilares essenciais das sociedades de massa. Ele enxerga na massa um corpo de amortização de forças políticas e sociais. A conformidade dos sujeitos com as determinações exteriores transformaria o cenário social em um grande corpo inerte e imóvel. Para ele, as partes que formam as massas estão tão ligadas que tornam a manifestação do diferente e das diferenças impossível. 

O filósofo José Ortega y Gasset define o sujeito que está inserido nas sociedades de massa como “homem-massa”. Para Ortega, o “homem-massa” só se sente confortável quando se vê em conformidade com a massa. E o sujeito contemporâneo que se vê em meio ao mundo social atual é a expressão absoluta do conformismo com as determinações sociais estabelecidas. O indivíduo e sua individualidade perderam força em meio ao enorme processo de homogeneização das diferenças. Seu desejo é o de se tornar comum, aceito pelos demais, encaixar-se nas determinações genéricas do mundo social massificado.