Responsabilidade Social Empresarial (RSE)

O conceito de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é cada vez mais aplicado no setor de comunicação. Independente da existência de uma marco regulatório sólido, as experiências de co-regulação a de autorregulação por parte das empresas de comunicação são importantes para o equilíbrio do ecossistema midiático. 

As iniciativas de auto-regulação entre as corporações de mídia ganharam força nos últimos anos devido ao recente fenômeno da Responsabilidade Social Empresarial. O conceito de RSE insere à discussão da autorregulação em um contexto mais sofisticado com consequências mais duradouras para as empresas e para a sociedade.

Contudo, as potencialidades da RSE ainda precisam ser aprimoradas no campo da mídia. E existe ainda um grande necessidade de aprimoramento dessas iniciativas.

A maioria dos grupos de mídia que reportaram ações de RSE estão associadas à produção de conteúdos relativos à sustentabilidade ambiental, pobreza, desigualdade, desnutrição e direitos da infância. 

A partir de 2008 foi iniciado um processo com o objetivo criar indicadores de responsabilidade social empresarial para o setor de mídia, utilizando a metodologia do Global Reporting Initiative (GRI), que desenvolveu um quadro de referência para relatórios de sustentabilidade usado por grandes empresas.

O GRI desenvolveu diversos parâmetros para os setores empresariais  ligados a comunicação, tendo inclusive a a participação de representantes de grupos como Warner Brothers, Vivendi, Berteslmann, BBC, The Guardian, Reed Elsevier, Australian Broadcasting Corporation, Antena 3, Gestevision Telecinco, Gazprom Media Holding e o Grupo Clarín. Além disso, também participam  representantes de organizações da sociedade civil, como Transparency International, Media Development Loan Fund, Global Forum for Media Development, International Federation of Journalists, The Nature Conservancy, Alianzas para la Sostenibilidad e ANDI.

Em outubro de 2010, ocorreu no Brasil o encontro “Indicadores de sustentabilidade para o setor de mídia na América Latina”, que teve o objetivo de apresentar a proposta de indicadores desenvolvido pelo Grupo de Trabalho global para diversos meios de comunicação e stakeholders do continente. A reunião foi organizada pela ANDI, representação da UNESCO no Brasil, Global Reporting Initiative (GRI), Fundação AVINA, Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano (FNPI) e Universidade Javeriana da Colômbia, com o apoio da Fundação Ford.