Níveis de Linguagem

Existem três principais níveis de linguagem: a linguagem culta (ou variante-padrão), a linguagem familiar (ou coloquial) e a linguagem popular.

  • Linguagem culta - utilizada pelas classes intelectuais da sociedade. É a variante de maior prestígio e aquela ensinada nas escolas. Sua sintaxe é mais complexa, seu vocabulário mais amplo e há, nela, maior obediência à gramática e à língua dos escritores clássicos.
  • Linguagem coloquial - utilizada pelas pessoas que fazem uso de um nível menos formal, mais cotidiano. Relativamente à linguagem culta, apresenta limitação vocabular, revelando-se incapaz para a comunicação do conhecimento filosófico, científico etc. Apresenta maior liberdade de expressão, sobretudo no que se refere à gramática normativa, e é muito mais expressiva, muito mais viva, porque está sintonizada com a língua que realmente se fala no cotidiano.
  • Linguagem popular - é aquela utilizada por pessoas de pouca ou nenhuma escolaridade. Esse nível raramente aparece na forma escrita e caracteriza-se como um subpadrão linguístico. Nele, o vocabulário é bem mais restrito, com muitas gírias, onomatopeias e formas gramaticalmente incorretas (pobrema, nóis vai, nóis fumo e não encontremo ninguém, tauba, etc.). Não há, aqui, preocupação com as regras gramaticais.