Jornalismo de Dados

O Jornalismo de Dados (Data-Journalism), ou Jornalismo Guiado por Dados (Data-Driven Journalism) é o processo de obtenção, construção, filtragem, análise e apresentação de bases de dados, com o objetivo de gerar notícias. É prática derivada do Jornalismo de Precisão, proposto por Philip Meyer na década de 1970, e da Reportagem Assistida por Computador (RAC) ou Computer-Assisted Reporting (CAR). Por meio da coleta de dados, usando técnicas das ciências sociais, e da análise de bases de dados, busca introduzir elementos do método científico na rotina produtiva das notícias, o que, resultaria em maior objetividade e exatidão no noticiário. 

Essa rotina produtiva é constituída das seguintes etapas: obtenção de dados, filtragem, visualização e narração. O jornalista Paul Bradshaw propõe a rotina produtiva do Jornalismo de Dados num processo de quatro etapas: a) compilação (compile); b) limpeza (clean); c) contextualização (contexto); e d) combinação (combine). Além disso, há a etapa final de comunicação (communicate).

A primeira referência ao Jornalismo de Dados (Data Journalism) foi feita pelo programador Adrian Holovaty (2006). Holovaty recomenda a incorporação de técnicas de gerenciamento de bases de dados ao cotidiano das redações, como forma de facilitar o reaproveitamento das informações coletadas no trabalho diário de reportagem.