Agenda Building

(Construção da agenda) Põe ênfase nos fluxos comunicativos, cognitivos, simbólicos e nos processos de construção múltipla e colaborativa de opinião, resultado de uma lógica negocial. Conceitualizada como uma teoria da ciência política, a  agenda building descreve o processo contínuo pelo qual vários grupos tentam transferir seus interesses para os interesses dos formuladores de políticas públicas. Ela se concentra na relação entre a sociedade e o formulador de políticas. Segundo Cobb e Elder, a construção da agenda baseia-se em dois pressupostos principais:

"Em primeiro lugar, as capacidades de atenção do governo são necessariamente limitadas. Há sempre mais questões disputando a atenção do que pode ser ativamente considerado. Segundo, os problemas políticos não são dados a priori, mas são questões de definição. Seja uma situação particular ou um conjunto de circunstâncias constitui um problema e é uma questão apropriada de interesse 'público' depende não apenas de fatos, mas de crenças e valores".