D.com - Dicionário de comunicação social

Nosso Dicionário de Comunicação Social On-Line - D.Com tem a finalidade de acumular todas as terminologias úteis e jargões das áreas de jornalismo, publicidade e propaganda, relações públicas e comunicação social, além de neologismos que surgiram com o advento da internet e das novas tecnologias. Por isso, está em constante atualização e aprimoramento.

Elementos da Comunicação

A comunicação representa a transmissão de mensagens entre um emissor e um recepto e é associada à linguagem e interação.  É um elemento essencial da interação social humana. A comunicação somente será efetivada se o receptor decodificar a mensagem transmitida pelo emissor. Os elementos que compõem a comunicação são Canal de comunicação, Emissor, Receptor, Mensagem, Contexto, Código e Ruído.

Teoria do Agendamento

Os consumidores de notícias tendem a considerar mais importantes os assuntos que são veiculados na imprensa, sugerindo que os meios de comunicação agendam nossas conversas. A mídia nos diz sobre o que falar e pauta nossos relacionamentos. É uma reação a teoria dos efeitos limitados. Como as pessoas apreendem as informações e formam se conhecimento sobre o mundo.

Teoria dos Seis Graus de Separação

A Teoria dos Seis Graus de Separação (teoria do "mundo pequeno") afirma que, no mundo, são necessários no máximo seis laços de amizade para que duas pessoas quaisquer estejam ligadas. No estudo, feito nos Estados Unidos, buscou-se, através do envio de cartas, identificar o números de laços de conhecimento pessoal existente entre duas pessoas quaisquer. Cada pessoa recebia uma carta identificando a pessoa alvo e deveria enviar uma nova carta para a pessoa identificada, caso a conhecesse, ou para uma pessoa qualquer de suas relações que tivesse maior chance de conhecer a pessoa alvo. A pessoa alvo, ao receber a carta, deveria enviar uma carta para os responsáveis pelo estudo. A popularidade da crença no fato de que o número máximo de passos entre duas pessoas é 6 (seis) gerou, em 1990, uma peça de nome Six Degrees of Separation, de John Guare.

Reputação Corporativa

A reputação é o objetivo final da comunicação corporativa. É a medida de prestígio de uma empresa, a partir de informações ou desinformações de seus públicos a respeito das dimensões da marca corporativa. Para isso, é preciso que haja coerência entre o que é dito e divulgado e o que é praticado no dia a dia para que as percepções dos públicos sejam positivas. É uma fonte de vantagem competitiva para se conquistar a preferência do público, aumentar o valor agregado dos produtos, ter maior acesso a canais e fornecedores de distribuição. Além de ampliar a competitividade, permite que o público seja mais flexível para relevar desvios e crises que possam acontecer.

Verbo Dicendi

Os verbos dicendi ou “de dizer” são aqueles usados para introduzir um diálogo ou em entrevistas jornalisticas. Por exemplo: afirmar, falar gritar, declarar, ordenar, perguntar, exclamar, pedir, concordar etc. Deve-se saber qual o contexto da fala, pois cada verbo carrega um comportamento ou características do personagem ou entrevistado.

A Lei das Três Fontes

A Lei das Três Fontes (LTF) na apuração jornalística visa garantir a credibilidade da matéria jornalística. A prática consiste em cruzar informações oferecidas pelas fontes para encontrar a versão verdadeira do fato. A escolha das fontes deve estar de acordo com o enfoque definido durante a elaboração da pauta, para despertar interesse do público-alvo. Quando a LTF descreve pontos semelhantes do mesmo fato apurado, ta versão é considerada verdadeira. Para isso, deve-se garantir que as fontes escolhidas sejam de origens distintas e não se conheçam, já que o relato de cada personagem deve representar um ponto de vista ou descrição diferente. As fontes devem também ter ligação direta ou indireta com o fato.

Redação Televisiva

O texto televisivo de ser conciso, objetivo e direto. Coloquial, claro e preciso; informativo, simples e pausado. Deve combinar informação visual com informação auditiva, sem prejuízo de uma ou outra. Texto e imagem são complementares e não excludentes; 

Utiliza-se o Tempo Verbal: Presente (o presidente viaja amanhã) e Futuro Composto  (o presidente vai viajar amanhã). 

Missão, Visão e Valores

 As organizações começam a atuar de forma bem mais ideológica e ainda, uma vez que os produtos e serviços mostram-se cada vez mais iguais e apresentam-se de maneira cada vez mais semelhante, as organizações atualmente andam apostando em um conjunto próprio de características – Missão, Visão e Valores – que as identifiquem e diferencie dos demais players.

Teoria das Influências Seletivas

A Teoria das Influências Seletivas surge após a Teoria Hipodérmica tornar-se obsoleta. Concluiu-se que o receptor (público) não era tão passivo a mensagem (Estímulo) e que haviam outros elementos que influenciavam a maneira que seriam interpretadas as mensagens. Processos psicológicos e Mediadores sociais.

Abordagem Empírico Experimental

A abordagem Empírico Experimental  estudava a intervenção de fatores individuais e subjetivos (psicológicos), com fins persuasivos. Foram determinados diversos fatores ligados à audiência e a mensagem que prenderiam ou não o interesse do receptor sobre a mensagem, entre eles: Motivação, Exposição, Seletiva, Percepção Seletiva, Memorização Seletiva, Efeito Latente entre outras.

Todos os direitos reservados (C) 2015 Comuniqueiro