Manuel Castells e a Sociedade em Rede

Manuel Castells é um sociólogo espanhol e um dos estudiosos da comunicação contemporânea mais proeminentes. Sua obra mais importante é intitulada "A sociedade em rede", primeiro volume da trilogia Era da Informação. Durante os anos 1970, Castells participou no desenvolvimento da sociologia urbana Marxista. 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Estudos Culturais

Estudos Culturais (cultural studies) – Escola inglesa do fim dos anos 1950. Os estudos se basearam na abordagem estética e ética ligadas às práticas das culturas populares. Nela, os meios de comunicação sustentam e reproduzem a estabilidade cultural. Os meios de comunicação se relacionam com o sistema social, continuidade e transformação da cultura e o controle social. As pessoas são “produtores e “consumidores” de cultura ao mesmo tempo. 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Dialogismo e Teoria da Enunciação

Dialogismo é o conceito central, elaborado por Mikhail Bakhtin, que estabelece a relação entre linguagem, sujeito e vida. O pensamento bakhtiniano (crítica ao objetivismo abstrato identificado com Saussure) é invocado pelas teorias da comunicação, pelas diferentes análises do texto e do discurso, pragmática, sociolinguística, linguística aplicada e outros. 

(clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Pós-Modernidade

"o surgimento da pós-modernidade é devido a uma grande mudança de sensibilidade ocorrida no final dos anos 60. A partir desse período ocorre a popularização da TV, os movimentos jovens atingindo o seu ápice em 1968, a Guerra do Vietnã, os Beatles e os Rolling Stones, a cultura Hip-Hop, a indústria cinematográfica, a MTV e a publicidade como porta voz de um estilo de vida; um mundo que poderia ser assistido se mostrava, uma cultura verdadeiramente global ganhava forma, o comportamento sexual, ético e moral sendo interpretado de uma nova maneira." Coelho (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria da Nova História

A Teoria da Nova História surgiu na França. Os teóricos da Nova História, reunidos na Escola dos Anais, defendem uma nova atitude dos historiadores e jornalistas diante dos acontecimentos, na qual é preciso questionar fontes, arquivos e até documentos considerados oficiais. Para eles, deve-se interpretar a história não a partir dos eventos, mas tomando como referências os pressupostos de formação desses mesmos eventos. (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria do Agir Comunicativo

"Assim, as ações sociais referem-se a uma racionalidade tomada num plano duplo: o da racionalidade comunicativa, ou voltada ao entendimento; e o da racionalidade instrumental, voltada estrategicamente à consecução de determinados fins, isto é, dirigida ao êxito. Ás essas duas dimensões corresponderiam duas formas de integração: integração social, que se relaciona aos mecanismos que coordenam a orientação de ações de parceiros de interação social comunicativa; e a integração sistêmica, que se refere a mecanismos que coordenam ações não intencionais mediante nexos funcionais." Maar (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria Etnográfica

"Uma narrativa que não reflete o mundo real, mas, ajuda a constituí-lo, as notícias são a construção social daquilo que se entende por realidade". Pena (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria Instrumentalista

A Teoria Instrumentalista determina que as notícias são instrumentos para determinados interesses políticos. Surgiu de um estudo/pesquisa realizado sobre parcialidade, que buscava verificar a existência ou não de distorções em textos noticiosos. (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria Gnóstica

"As notícias têm uma estrutura de valores que são compartilhados pelos jornalistas entre si, embora carreguem ecos da interação com a sociedade. Esse compartilhamento é nitidamente uma operação gnóstica, com ritos de passagem e forte conotação de conhecimento secreto, só acessível a uns poucos iniciados, os próprios jornalistas". Pena (clique no título/link para ver a aula/definição completa)

Teoria Organizacional do Jornalismo

As notícias são como são porque as empresas e organizações jornalísticas assim as determinam”. Cremilda Medina Essa teoria se originou na administração e na psicologia, e foi adaptada para o jornalismo em 1995, pelo sociólogo norte-americano Warren-Breed. (clique no título/link para ver a aula/definição completa)